‘Faroeste Caboclo’ é destaque no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Elenco de Faroeste Caboclo comemora troféu de Melhor Longa-Metragem de ficção

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Aconteceu na noite desta terça-feira (26) no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, o 13º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. O longa “Faroeste Caboclo” foi o destaque do evento e venceu 7 das 13 categorias a que concorria.

Protagonizado por Isis Valverde e Fabrício Boliveira, o filme de René Sampaio faturou, dentre outros,  o troféu Grande Otelo de melhor longa-metragem de ficção.

O evento foi comandado pelo casal Caio Blat e Maria Ribeiro. Os atores tiraram a roupa no palco, dançaram e até trocaram beijos durante a apresentação marcada por esquetes do filme “Todas as Mulheres do Mundo”, de Domingos Oliveira.

Neste ano, a premiação consagrou pela primeira vez um filme de comédia e o vencedor foi “Cine Holliúdy”, de Halder Gomes.  “A comédia é uma tradição do cinema brasileiro, mas sempre foi pouco valorizada”, afirmou Roberto Farias, presidente da Academia Brasileira de Cinema.

O diretor e dramaturgo carioca Domingos Oliveira foi o homenageado desta edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, que exalta os melhores filmes  do ano escolhidos tanto pelo público quanto pelos integrantes da Academia.

Confira a relação completa de vencedores:

Melhor longa-metragem de ficção
“Faroeste Caboclo”. Produção: Bianca De Felippes por Gávea Filmes e Produções, Marcello Maia por República Pureza e René Sampaio por Fogo Cerrado Filmes

Melhor longa-metragem de documentário
“A Luz do Tom”, de Nelson Pereira dos Santos. Produção: Márcia Pereira dos Santos por Regina Filmes Ltda e Maurício

Melhor longa-metragem de animação
“Uma História de Amor e Fúria”, de Luiz Bolognesi. Produção: Caio Gullane, Fabiano Gullane, Débora Ivanov e Gabriel Lacerda por Gullane Entretenimento, Laís Bodanzky, Luiz Bolognesi e Marcos Barreto por Buriti Filmes

Melhor longa-metragem infantil
“Meu Pé de Laranja Lima”, de Marcos Bernstein. Produção: Katia Machado por Pássaros Films do Brasil Audiovisuais Ltda.

Melhor longa-metragem de comédia
“Cine Holliúdy”, de Halder Gomes. Produção: Halder Gomes e Dayane Queiroz por ATC Entretenimentos

Melhor direção
Bruno Barreto por “Flores Raras”

Melhor atriz
Gloria Pires, como Lota de Macedo Soares, por “Flores Raras”

Melhor ator
Fabrício Boliveira, como João de Santo Cristo, por “Faroeste Caboclo”

Melhor atriz coadjuvante
Bianca Comparato, como Carmem Tereza, por “Somos Tão Jovens”

Melhor ator coadjuvante
Wagner Moura, como Lindo Rico, por “Serra Pelada”

Melhor direção de fotografia
Gustavo Habda, por “Faroeste Caboclo”

Melhor direção de arte
José Joaquim Salles, por “Flores Raras”

Melhor figurino
Marcelo Pies, por “Flores Raras”

Melhor maquiagem
Siva Rama Terra, por “Serra Pelada”

Melhor efeito visual
Daniel Greco e Bruno Monteiro, por “Uma História de Amor e Fúria”
Robson Sartori, por “Serra Pelada”

Melhor roteiro original
Kleber Mendonça Filho, por “O Som ao Redor”

Melhor roteiro adaptado
Marcos Bernstein e Victor Atherino – adaptado da música “Faroeste Caboclo” de Renato Russo, Legião Urbana – por “Faroeste Caboclo”

Melhor montagem ficção
Marcio Hashimoto, por “Faroeste Caboclo

Melhor montagem documentário
Marília Moraes e Tina Baz, por “Elena”

Melhor som
Leandro Lima, Miriam Biderman, ABC, Ricardo Chuí e Paulo Gama por “Faroeste Caboclo”

Melhor trilha sonora
Paulo Jobim por “A Luz do Tom”

Melhor trilha sonora original
Phillipe Seabra por “Faroeste Caboclo”

Melhor curta ficção
“Flerte” de Hsu Chien

Melhor curta documentário
“A Guerra dos Gibis” de Thiago Brandimarte Mendonça e Rafael Terpins

Melhor curta animação
“O Menino que Sabia Voar” de Douglas Alves Ferreira

Melhor longa-metragem estrangeiro
“Django Livre”/Django Unchained de Quentin Tarantino. Distribuição: Sony Pictures

Fonte: Yahoo

Compartilhar:
    Publicidade