Fátima defende investigação “ágil e rigorosa” sobre tráfico de influência

Segundo Fátima Bezerra, “tanto as denúncias de tráfico de influência como de Caixa 2 do DEM devem ser investigadas”

“Faremos aliança boa para a presidente Dilma e para o PT do RN”. Fátima Bezerra. Foto:Divulgação
“Faremos aliança boa para a presidente Dilma e para o PT do RN”. Fátima Bezerra. Foto:Divulgação

Alex Viana

Repórter de Política

 

A deputada federal Fátima Bezerra (PT) defendeu na manhã desta quinta-feira uma investigação ágil, profunda e rigorosa sobre a denúncia de tráfico de influência e Caixa 2 envolvendo o DEM potiguar. A petista aproveitou para admoestar o senador José Agripino Maia, presidente nacional do DEM.

“A Polícia Federal está fazendo o seu papel. Na hora em que o Ministério Público toma a decisão de reabrir o caso, o que se espera é uma investigação rigorosa e profunda e que a verdade venha à tona”, disse a petista.

Fátima disse que, “ao contrário do presidente do DEM, senador José Agripino, que quando aparece uma denúncia envolvendo o PT ou um partido aliado, se apressa em julgar e condenar, nós vamos aguardar o resultado do processo investigatório, que esperamos seja ágil”, completou. “Quem for inocente será inocentado. Quem for culpado, que pague com os rigores da lei”, disse.

Segundo Fátima Bezerra, “tanto as denúncias de tráfico de influência como de Caixa 2 do DEM devem ser investigadas”. Ela ressaltou a credibilidade das instituições responsáveis pela abertura das investigações. “As instituições Polícia Federal, Ministério Público estão no estrito cumprimento dos seus deveres. E a sociedade espera que o processo investigatório traga à tona os devidos esclarecimentos acerca desse nebuloso episódio”.

SILÊNCIO

O senador José Agripino Maia tem silenciado sobre a acusação, feita pela revista Isto É. Segundo a publicação, ele teria feito tráfico de influência em favor da Empresa Industrial Técnica (EIT).  A IstoÉ trouxe matéria ligando o fato de a EIT ter negócios vultosos com o governo Rosalba Ciarlini (DEM) ao fato de Agripino ter sido sócio da empresa até recentemente. A revista também cita que a EIT realiza obras importantes para o governo Rosalba, como o Contorno de Mossoró, e lembra que em 2013 a EIT já ganhou mais de R$ 150 milhões em contratos com o governo do DEM no RN. O fato de José Agripino ter recebido R$ 550 mil em doações da EIT na campanha eleitoral de 2010, quando ele concorreu ao Senado, também foi lembrado pela revista.

“Faremos aliança boa para a presidente Dilma e para o PT do RN”

Ainda em seu contato com O Jornal de Hoje, a deputada federal Fátima Bezerra abordou o cenário político e eleitoral para 2014. A petista repetiu o bordão que tem sido praxe nos petistas para o projeto do ano que vem: disputar o Senado, manter a vaga na Câmara dos Deputados e ampliar a presença na Assembleia Legislativa.

“Quanto a 2014, o PT segue firme e unido para a luta. Conquistar a vaga de Senado, manter a nossa presença na Câmara Federal e ampliar a presença na Assembleia Legislativa, conectado com o projeto nacional que é a reeleição da presidente Dilma. Nessa direção, o PT norte-rio-grandense, em 2014, vai conversar com os partidos que são nossos aliados no plano nacional com vistas a formamos uma aliança forte, que politicamente seja boa a reeleição da presidenta Dilma e para os objetivos do PT no RN”, ressaltou.

O PT trabalha com a hipótese de se aliar ao PMDB na disputa pelo governo e o Senado. Articulação neste sentido teria sido feita pelo presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB). No entanto, o PMDB tem se aproximado bastante do PSB nos últimos tempos, dada a boa posição nas pesquisas da ex-governadora Wilma de Faria, presidente estadual do PSB.

O PT, por sua vez, não aceita compor com o PSB no RN, já que os socialistas devem apresentar a candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, a presidente da República. Resta saber se, preterido para o Senado, o PT irá se coligar com o PMDB. Ou se partirá para uma aliança com outras legendas, como o PSD, do vice-governador Robinson Faria, também pré-candidato a governador do Rio Grande do Note.

 

Compartilhar: