Fatos e bastidores

> Carlos Eduardo Alves (PDT) dispõe-se a apoiar um nome do PMDB para o governo do estado. São poucos os…

> Carlos Eduardo Alves (PDT) dispõe-se a apoiar um nome do PMDB para o governo do estado. São poucos os que podem ganhar o voto do prefeito de Natal. Sublinhem-se dois, pela ordem alfabética: Fernando Bezerra e Garibaldi Alves, filho.
> Bilionária é a fatura paga pela República Surrealista dos Trópicos para cobrir sua desastrada política fiscal. O mercado, em momento de incerteza, teme o “risco do futuro”. Tem certeza, porém, do efeito negativo sobre o PIB (Produto Interno Bruto). Prevê queda. Neste ano, menor; maior, no próximo.
> Se postular o Senado, Wilma de Faria (PSB) ganha o mandato que não conseguiu em 2010. Assim mostram os números das sondagens de opinião.
> Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) iniciou a elaboração da proposta de sua candidatura ao Palácio do Planalto. Diz que será “diferente do programa comum” à candidata oficial e aos aspirantes do PSDB e PSB.  “O meu está em sintonia com o grito das ruas”, enfatiza o pernambucano de Garanhuns representante do Amapá no Senado.
> O PSB alia-se às candidaturas tucanas a governador de São Paulo (Geraldo Alckmin, em busca da reeleição) e de Minas Gerais (possivelmente, Pimenta da Veiga, ex-prefeito de Belo Horizonte).

 

No último prazo
Em ritmo da indecisão.

A presidente da República agendara a reforma ministerial para este dezembro.

Transferiu a mudança para janeiro.
Ontem, pressionada pelos titulares de pastas que vão concorrer a mandato eletivo, Dilma Rousseff admitiu rever a data da troca de auxiliares do primeiro escalão.

Conforme a lei, a desincompatibilização tem de ocorrer, no máximo, seis meses antes do pleito.
Portanto, até 5 de abril.

O carrossel gira
Em política, prevalece a motivação pessoal.
Quando Michel Temer (PMDB-SP) tenta conter a resistência de seções regionais do partido à recandidatura da senhora Rousseff, ele também se defende.

Protege o projeto de continuar vice na chapa liderada pelo PT.

 

Escolha é livre
Questão de preferência.
Entre os governadores estaduais, um dos “queridos” da senhora Rousseff é o do Ceará, Cid Gomes (PROS).
Outro: o do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, filho (PMDB).

A presidente da República também estima gente da oposição.
Um exemplo: Antonio Anastasia (foto com Dilma), tucano que governa Minas Gerais e é cabo eleitoral de Aécio Neves, a quem sucedeu no Palácio da Liberdade.

Pós-escrito: Anastasia, no segundo mandato, está absoluto na disputa pela cadeira de senador. Média de intenção de votos: 60%.

 

- Vai de 10 a 30 de junho o prazo para os partidos realizarem as convenções de oficialização dos candidatos ao pleito do próximo ano.
- Incentive seu filho a ler. Quem lê sabe mais e aprimora a redação.
-Tarso Genro (PT-RS) foi à China. Missão do governador: atrair montadora de carros movidos a combustível renovável. Iniciou ontem os contatos com a empresa Dong Feng, fabricante de veículos elétricos.
- Nesta segunda-feira, encontro carioca de Dilma Rousseff e Bill Clinton. O ex-presidente dos Estados Unidos veio ao Brasil (São Paulo e Rio) em companhia da filha única, Chelsea.
- Detalhe de registro obrigatório: logo mais, os controladores do Saint Peter Hotel – onde Lula da Silva é hóspede especial – serão intimados a dar explicações à Justiça. Suspeita-se que haja ali uma Caixa de Pandora.
- Luiz Araújo assume a presidência nacional do PSOL. Professor da Universidade de Brasília, ele sucede ao deputado paulista Ivan Valente.
- Que seja alegre o seu fim de semana. Segunda-feira, você fica na companhia de Joaquim Pinheiro, o mais mineiro dos jornalistas do Rio Grande do Norte. Até terça.
- Para refletir: “Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe” (Oscar Wilde, escritor irlandês).

Compartilhar: