Fé no que virá – Vicente Serejo

Vejo beleza na velharia, ressignifico o mofo… Paisagens de patrimônios históricos, como a poética Ouro Preto, em Minas Gerais, livros…

Vejo beleza na velharia, ressignifico o mofo… Paisagens de patrimônios históricos, como a poética Ouro Preto, em Minas Gerais, livros antigos e filmes que já saíram de moda, há muito tempo, me fascinam. Entre as muitas reprises que me prendem a atenção, se destaca a história de “Vivos” ou “Sobreviventes dos Andes”, que sempre conta com minha audiência quando volta à tela.

Chama-me a atenção a história de fé, superação e devoção pela vida do ex-jogador de rúgbi e atualmente empresário de comunicação no Uruguai, Nando Parrado, que sobreviveu, com outras 15 pessoas, durante 72 dias, depois que seu avião se espatifou nos cumes gelados dos Andes, há cerca de 30 anos. “Decidi que morreria, mas morreria tentando. O amor por nossas famílias nos mantém vivos”, frisou Parrado, em uma de suas palestras. Ele perdeu sua mãe e irmã no acidente.

“Fé na vida, fé no homem, fé no que virá! Nós podemos tudo, nós podemos mais… Vamos lá fazer o que será”. A composição de Gonzaguinha parece uma trilha sonora feita “sob medida” para a vida do uruguaio, que passou de alguém que lutava pela sobrevivência, após um acidente aéreo na Cordilheira dos Andes, a um dos melhores conferencistas do mundo na atualidade.

Aliviar a dor de seu pai que estaria sofrendo por perder, teoricamente, toda a família (uma vez que não havia mais notícias e as buscas estavam suspensas) foi seu foco de forma obsessiva, o que lhe proveu forças para suportar todas as dificuldades até sair daquela situação. No relato de Parrado, não constam lições mirabolantes ou sugestões extremamente criativas, mas a constatação da importância das coisas simples da vida, que ganharam a condição de prioridade máxima depois desta experiência ímpar.

Estabelecer foco, liderar a própria vida, ter uma atitude positiva diante das situações, seguir a intuição e, especialmente, valorizar as pessoas são ingredientes de sua receita. “As crises sempre passam. Quando perdemos o emprego ou qualquer outra coisa, ainda nos resta a vida. Ainda estamos vivos! Temos as pessoas que amamos. E isso é o mais importante. Hoje, dou mais valor ao simples ato de beber um copo d’água, pois não havia como fazer isso nas montanhas”, declarou. O papel da oração também foi enfatizado, não somente como reforço para a fé e esperança, mas de forma bem prática: todas as noites, eles oravam para manterem-se acordados e prevenirem-se de possíveis congelamentos de seus membros, assim como de avalanches.

O “milagre” vivido nos Andes fez com que ele levasse os ensinamentos para o mundo corporativo, ministrando palestras sobre como atingir a excelência no trabalho de equipe e na gestão de crises. Nando escreveu um livro sobre sua experiência e orientou os produtores do filme “Vivos” sobre o acidente nos Andes. “Nunca se entregue, nasça sempre com as manhãs. Deixe a luz do sol brilhar no céu do seu olhar”… Se Nando escutasse esta música, certamente Gonzaguinha ganharia um fã mais do que especial.

- O retorno

A volta do deputado Dibson Nasser (PSBD) à Assembleia Legislativa do RN continua rendendo polêmicas. Depois da “novela” da posse, com falha no Diário Oficial, e de Dibson (pessoalmente) ter tido que convidar – um a um – oito deputados para compor uma sessão ordinária na Casa e, enfim, ter seu cargo novamente, nesta segunda-feira (7), ele espera entrar em seu gabinete.

- “25” deputados

O tucano não está com as chaves da sala, ainda em posse do suplente-rival José Adécio (DEM), que tenta, segundo fontes seguras, reverter a decisão judicial com a ajuda do líder José Agripino e seu prestígio junto a Gilmar Mendes. Na prática, o RN começou a semana com “25” deputados.

- Persistência

O que se conta, nos bastidores, é que Adécio “fez de tudo” para se manter deputado, inclusive pedir a colaboração dos governadoráveis Henrique Alves (PMDB) e Robinson Faria (PSD) junto ao ministro petista Dias Tófolli – mesmo o PT sendo arqui-inimigo do DEM, desde sempre. Ambos não quiseram se intrometer na questão.

- Registros

A coligação PSD e PT registrou, além de Robinson governador e Fátima senadora, mais 120 candidatos aos cargos de suplente de senador, deputado estadual e federal para o pleito de outubro. O ex-secretário de Estado de Wilma de Faria, Jean-Paul Prates é o suplente da petista.

- Novos vôos

Uma das primeiras empresas incubadas da UFRN, por meio do Instituto Metrópole Digital, a RoboEduc já está atendendo clientes em Natal e Mossoró. Antes trabalhando apenas com kits de robótica e software de programação de robôs, a RoboEduc passou a desenvolver também um ambiente virtual de aprendizagem.

- Hermanos

A “febre” por futebol na Argentina, com a necessidade de assistir ao vivo o que acontece na Copa do Mundo, gerou uma procura disparada por celulares e televisores. Um telefone celular foi vendido, em média, a cada dois minutos durante o Mundial, conforme a plataforma de comércio eletrônico Mercado Livre.

- Minoria

Pesquisa da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) mostra que as mulheres negras não estão nas telas de cinema, nem atrás das câmeras. Apesar de ser a maior parte da população feminina do país (51,7%), elas apareceram em menos de dois a cada dez longas metragens, entre os anos de 2002 e 2012.

- Papel secundário

Além disso, atrizes pretas e pardas representaram apenas 4,4% do elenco principal de filmes nacionais. Nesse período, nenhum dos mais de 218 filmes nacionais de maior bilheteria teve uma mulher negra na direção ou como roteirista.

- Quarta cultural

O Duo Rock, com Moisés Lima e Giancarlo Vieira, se apresenta, na quarta cultural desta semana, às 19h, no Mercado de Petrópolis, repetindo o sucesso da última participação. Além da música, há feira de artesanato, vinis, CD’s, DVD’s, livros, antiguidades e comidas variadas.

- Estresse

Aberto à comunidade, o projeto Saúde em Ação, do departamento de Psicologia do UNI-RN, que trabalha com base na influência mútua entre corpo e mente, está focalizando o estresse. Os encontros acontecem às sextas-feiras, das 17h às 18h40.

Compartilhar: