Fecomércio defende novo Centro de Convenções no Augusto Severo

Aeroporto foi desativado e será anexado a Base Aérea, ficando sob responsabilidade da Aeronáutica

Aeroporto-Augusto-Severo-JA-(78)

Um antigo pré-projeto da Federação do Comércio do RN sobre utilização das instalações e do estacionamento ao aeroporto Augusto Severo voltará a ser debatido nesta sexta-feira durante uma reunião extraordinária do conselho do Sebrae-RN.

O presidente da Federação do Comércio, Marcelo Queiroz, que faz parte do conselho, apresentará a proposta, que inclui a construção no local de um grande centro de convenções junto a um museu da aviação.

O Augusto Severo foi um dos baluartes da aviação militar por ter sido base durante a Segunda Grande Guerra. A idéia do pré-projeto é manter essa mística, agregando a ela um centro capaz de atrair investimentos comerciais.

O projeto já foi apresentado à Prefeitura de Parnamirim e ao Governo do Estado. Mas a esperança é que envolvendo o Sebrae-RN haja um adensamento no debate, que já envolve o presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves, o potiguar mais influente em Brasília.

Esta semana, o presidente do Conselho Delibetaivo do Sebrae/RN, engenheiro Silvio Bezerra, teve uma conversa com Henrique Eduardo e comentou ele que o assunto já preocupa o parlamentar.

Ironicamente, é o deputado Henrique Eduardo o político que mais atuou para a viabilização do novo aeroporto de São Gonçalo que não à toa ganhou o nome do seu pai, o ex-governador e ex-ministro Aluízio Alves.

Durante a pré-inauguração do novo terminal, um forte marketing foi realizado para consolidar o local como novo “aeroporto de Natal”. No evento, um alto executivo da Inframérica falou em alto e bom som ao avistar Henrique: “Este é o homem que tornou o aeroporto possível!”

Portanto, seguindo essa lógica, o fim das operações do Augusto Severo devem também fazer parte das preocupações políticas de Henrique, já que representou o desemprego de mais de 200 trabalhadores do Augusto Severo, entre taxistas e lojistas e seus empregados.

Quando foi fechado, o aeroporto de Parnamirim recebia em média 72 voos por dia e em 2013 movimentou 2.408.206 passageiros. Em 2012, obteve sua requalificação com a modernização do terminal de passageiros.

Foi o resultado de investimentos de R$ 16,4 milhões, que contemplaram novas salas de embarque e desembarque, instalação de novo sistema de ar-condicionado, novos elevadores e escadas rolantes, 12 novos balcões de check-in e fraldário, entre outras melhorias.

Segundo a Fecomércio, o estudo do órgão sobre o futuro do Augusto Severo é detalhado, mas ainda é um pré-projeto que está sendo debatido com a sociedade. “É o que presidente Marcelo Queiroz vai fazer durante esta convocação extraordinária do Conselho Deliberativo do Sebrae-RN, do qual ele faz parte”, acrescentou.

Hoje, ao O JORNAL DE HOJE, o presidente do Conselho, Silvio Bezerra, deixou claro que outras possibilidades poderão ser examinadas durante a reunião, que se dará em um almoço na sede do Sebrae-RN, fechado aos conselheiros.

“Vejo muitas possibilidades para a área, mas é preciso um entendimento muito amplo, já que não podemos perder um equipamento que ainda custa dinheiro aos cofres do Estado”, assinalou.

Desde que foi anunciada a transferência das operações do Augusto Severo para São Gonçalo, vários encontros já foram promovidos por iniciativa de políticos de Parnamirim junto com a Associação dos Lojistas do antigo aeroporto.

Para Silvio Bezerra, chegou a hora de encaminhar uma solução que preserve o domínio da Aeronáutica sobre a pista e as instalações militares, mas que tenha “o bom senso” de direcionar as instalações do aeroporto para uma finalidade social e economicamente útil.

Compartilhar:
    Publicidade