Felipão diz que Neymar é protagonista da seleção: “Responsabilidade maior”

Fato de ser protagonista na seleção pode ajudar o jogador a fazer na Copa o que ainda não fez na Espanha

Jogando sua primeira copa, Neymar é referência da equipe. Foto: Divulgação
Jogando sua primeira copa, Neymar é referência da equipe. Foto: Divulgação

Aos 22 anos, Neymar carrega o peso de ser o principal nome da seleção brasileira na Copa do Mundo que será jogada em casa. E a árdua missão vem num momento em que o astro ocupa papel secundário em seu clube, o Barcelona, e é atormentado por contusões e problemas com sua transferência para a Espanha.

Após confirmar a mais do que esperada convocação do atacante, o técnico Felipão não se furtou a colocar Neymar como principal nome do Brasil. ”A responsabilidade maior de Neymar não é só pela criação, é pelo contra-ataque, pela improvisação, pelo que é capaz de fazer num espaço em que outros não fazem. É o complemento de um grupo que trabalha pra ele, e ele em algumas oportunidades vai ter que trabalhar para esse grupo”.

Recomeço na Europa

Há quase um ano, Neymar trocou o protagonismo que tinha no Santos para ser companheiro de Lionel Messi, Xavi e Iniesta no Barcelona. Depois de um início muito bom na temporada europeia, ele sofreu em janeiro uma lesão muscular que o deixou afastado do time por quase um mês.

De volta aos campos, o atacante alternou boas partidas com outras pouco animadoras e algumas vezes foi deixado no banco de reservas.

Neymar, ainda assim, esteve nos principais jogos do Barcelona, que vive uma temporada infeliz. O time foi eliminado da Liga dos Campeões pelo Atlético de Madri nas quartas de final, perdeu a decisão da Copa do Rei para o Real Madrid e está três pontos atrás do Atlético a duas rodadas do fim do Campeonato Espanhol.

Mesmo com a má fase de seu clube, o brasileiro foi elogiado pelas atuações aguerridas nessas partidas, ao contrário de Messi. Mas o brasileiro sofreu nova contusão na final da Copa do Rei, no mês passado, e tem agora um edema no quarto metatarso do pé esquerdo.

Diferentemente dos momentos conturbados que vive no Barça, na seleção Neymar é o destaque e parece jogar mais à vontade.

“Tem uma diferença muito grande entre o Neymar que joga na Espanha e o Neymar que vai jogar no país. Com o Barcelona ele é um complemento, ele é apenas um participante, e na seleção ele é o melhor de todos e isso influi muito na sua capacidade, na sua autoconfiança”, disse o campeão mundial de 1970 Clodoaldo, que acompanhou a carreira do atacante no Santos. “Se lá (no Barcelona) ele perde um pouco da autoestima, porque é apenas mais um, aqui não vai acontecer isso.”

O técnico do Brasil, Luiz Felipe Scolari, garante não ter preocupações com Neymar e acredita que “na seleção, ele vai render o que sempre rendeu”.

Ídolos da seleção no passado apostam que Neymar está preparado para carregar a responsabilidade de ser o principal jogador do time no Mundial dentro do país. Essa é a opinião de Clodoaldo, Zito e também de Pelé, tricampeão mundial com o Brasil.

“Ele está ganhando experiência na Europa, onde o jogo é mais duro do que no Brasil. É uma boa oportunidade para ele. Ele vai voltar para o Brasil com alguma experiência”, afirmou Pelé.

O tetracampeão Mario Jorge Zagallo concorda. “É uma responsabilidade enorme para um garoto dentro de casa, mas já mostrou seu talento e qualidade mesmo num meio de cobras.”

Carreira vitoriosa

Neymar começou sua carreira no Santos, acompanhado de perto pelo ex-volante Clodoaldo, ídolo do time paulista.

“Eu convivo com o Neymar desde os seus 11 anos de idade. Eu acredito que ele esteja preparado, porque ele sabe da importância dele para a seleção”, disse o campeão mundial de 1970 em entrevista na semana passada.

“A gente percebia que ele era um jogador diferenciado. Quando a gente via ele jogar, desde o futebol de salão, percebia que ele fazia as coisas diferentes”, completou.

Neymar estreou no time profissional do Santos aos 17 anos, em 2009, quando foi eleito a revelação do Campeonato Paulista. No ano seguinte, o atacante ajudou o Santos a conquistar os títulos paulista e da Copa do Brasil.

O ano de 2011 foi a confirmação dele como um jogador decisivo. Com dribles desconcertantes e finalizações precisas, ele levou o Santos ao título da Copa Libertadores após 48 anos e se consolidou como o melhor jogador brasileiro.

Fora de campo, Neymar também virou uma referência. Crianças imitam o corte de cabelo e o jeito de ser do atacante, que protagoniza uma série de propagandas.

Em meio a especulações de uma transferência para o futebol europeu, Neymar renovou seu contrato com o Santos até 2014, mas acabou indo para o Barcelona um ano antes, em uma transferência bastante polêmica que envolveu mais dinheiro do que anunciado inicialmente e provocou a saída do presidente do time catalão Sandro Rosell do cargo.

O Barcelona está sendo acusado de fraude fiscal por autoridades espanholas, depois que veio à tona que o valor da transferência do atacante, inicialmente divulgado como 57 milhões de euros, era de fato próximo a 90 milhões de euros.

Os valores pagos por Neymar geraram questionamentos. O holandês Cruyff, um dos ídolos do Barcelona, criticou o fato de o brasileiro ganhar mais do que “jogadores que já ganharam tudo no clube”.

Neymar, como de costume, preferiu não entrar em polêmica.

Fonte: IG

Compartilhar: