Felipão rebate futuro vice da CBF: “tem que me pedir benção”

Felipão rebateu as críticas nesta quarta-feira

Luiz Felipe Scolari durante coletiva de imprensa no dia seguinte à derrota contra a Alemanha. Foto: Divulgação
Luiz Felipe Scolari durante coletiva de imprensa no dia seguinte à derrota contra a Alemanha. Foto: Divulgação

Luiz Felipe Scolari se mostrou incomodado com as críticas feitas pelo presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfim Peixoto, que será vice-presidente da CBF quando Marco Polo del Nero assumir o cargo, em 2015. Em entrevista ao site do canal ESPN Brasil, o dirigente chamou o técnico de teimoso, afirmou que deveria se aposentar e alardeou: ele nunca mais treinará a Seleção Brasileira. Felipão rebateu as críticas nesta quarta-feira.

“Porque que eu vou responder ao Delfim se o único título nacional de Santa Catarina quem deu fui eu?”, indagou Felipão, em referência à conquista da Copa do Brasil de 1991, contra o Grêmio. “Ele tem que ajoelhar e pedir a benção a mim. Não ganharam nada, nunca. Só ganharam com o Criciúma quando eu era o técnico”, continuou o treinador da Seleção Brasileira.

Delfim Peixoto estava entre as várias autoridades e dirigentes presentes no Mineirão na tarde de terça-feira, acompanhando a vexaminosa derrota por 7 a 1 para a Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo. Com a eliminação do Brasil, Felipão virou alvo de críticas do futuro vice-presidente da CBF – o catarinense compôs a chapa única encabeçada por Marco Polo del Nero.

“Ele fala o que ele achar melhor”, complementou Felipão, irritado. O treinador ainda não deu indícios do que vai fazer após a Copa do Mundo e, na entrevista realizada nesta quarta, se limitou a dizer que seu contrato tem duração até o final do Mundial. Para o Brasil, isso significa sábado, quando entra em campo no Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF), para decidir se fica com o terceiro lugar da Copa.

Fonte: Terra

Compartilhar: