Fiart tem alto índice de satisfação e movimenta quase R$ 10 milhões

A Fiart teve frequência de por 68 mil pessoas durante seus dez dias

As informações relacionadas a 19º Feira Internacional de Artesanato são positivas, revelando que o evento foi bem avaliado, proporcionou emprego e renda para diversas pessoas e agregou valor a estação turística na cidade do Natal.

Na área econômica a Fiart movimentou R$ 9.100.000,00 (nove milhões e setecentos mil reais). O coordenador Neiwaldo Guedes, da Espacial Eventos, empresa promotora da feira, comemora o alto índice de satisfação dos visitantes da Fiart, que segundo pesquisa realizada pela Smart, chegou ao patamar de 85% em vários quesitos positivos.

A Fiart teve frequência de por 68 mil pessoas durante seus dez dias, visitantes estes que puderam adquirir peças em 385 stands montados numa área de 7.500m².

Na parte cultural subiram ao palco da Fiart 1.460 artistas de grupos culturais, músicos e dançarinos que se apresentaram em shows artísticos. Foto: Canindé Soares
Na parte cultural subiram ao palco da Fiart 1.460 artistas de grupos culturais, músicos e dançarinos que se apresentaram em shows artísticos. Foto: Canindé Soares

Os artesãos de vários municípios do RN, outras cidades do Brasil e até de países como Emirados Árabes Unidos (Dubai), Espanha, França, Índia, Itália, República das Filipinas, Japão, Indonésia, Paquistão, Peru, República Tcheca, Portugal, Senegal, Polinésia Francesa, Tailândia e Peru chegaram ao número de 2.200, com a Fiart envolvendo outros 370 trabalhadores em diversos setores como segurança, organização, execução, montagem, alimentação, cultura e prestação de serviços.

Na parte cultural subiram ao palco da Fiart 1.460 artistas de grupos culturais, músicos e dançarinos que se apresentaram em shows artísticos, no XII Festival de Danças Folclóricas e Contemporâneas, FIART In Concert (orquestras, bandas de música), Mostra Potiguar de Trovadores e Repentistas, rituais de danças indígenas e na Mostra de Danças Juninas.

O IV Prêmio Vitrine Fiart desta edição premiou o artesão alagoano André com a primeira colocação com a peça “onça em movimento”, seguido de Mestre Cabral de Pernambuco com “mesa talhada” e em terceiro Mestre Ivo do RN com “cavalos”. Os artesãos tiveram espaços como: Salão da Reciclagem, Salão das Artes Plásticas, Lojão SEBRAE, Salão do Artesanato Potiguar, Tribos Indígenas, Salão dos Mestres, IV Prêmio Vitrine Fiart e Vila Cultural.

Para a secretária do Trabalho, Habitação e Assistência Social do Governo do Estado, Shirley Targino, parceira do evento através do apoio do Governo do Estado do RN, “a Fiart foi sem dúvida um grande sucesso para os artesãos potiguares que receberam todo o apoio do Governo do Estado, através da Sethas. De acordo com os dados do Proart, o total de mercadorias vendidas arrecadou mais de 740 mil reais, somando as vendas realizadas nos 78 estandes do pavilhão do Governo do Estado e o Salão dos Mestres, que também teve o apoio da Sethas. Mais de 152 mil peças foram vendidas e encomendadas em dez dias de exposição. Estamos felizes com os resultados. Agora vamos dar continuidade às ações para beneficiar ainda mais os artesãos potiguares”, disse a secretária Shirley Targino.

Outro parceiro, o diretor técnico do SEBRAE/RN, João Hélio Cavalcanti fez a seguinte avaliação do evento este ano, “na edição FIART 2014, pudemos comprovar que o trabalho e investimentos realizados ao longo dos anos tornou o artesanato norte-rio-grandense muito competitivo no cenário nacional e internacional. A feira têm contribuído diretamente no crescimento dessa atividade econômica tão importante para o Rio Grande do Norte, transformando a vida de muitos artesãos, gerando novos postos de trabalho e aumento da renda”.

O coordenador Neiwaldo Guedes classifica a atual edição da Fiart como vitoriosa e proveitosa para toda a cadeia econômica do Rio Grande do Norte, com reflexos no turismo, cultura, gastronomia, setor de prestação de serviços, comunicação, de eventos, enfim uma Fiart que se fortalece e é esperada o ano todo. “Este ano recebemos apelo dos artesãos para que possamos ampliar o evento, com uma edição durante a Copa do Mundo e até em outras cidades como Mossoró, por exemplo. Estamos avaliando e existe a possibilidade da Fiart ser ampliada no futuro. Lembramos ainda o lado social da feira, que disponibiliza espaços para que organizações humanitárias vendam seus produtos e possam melhorar suas ações”, informa Guedes que lembra a importância dos parceiros para a realização do evento, citando os mais importantes como o Governo Federal através do Programa do Artesanato Brasileiro – PAB, Governo do Estado – SETHAS, Prefeitura do Natal – SEMTAS e o SEBRAE-RN.

Compartilhar: