FIFA avisa que fará jogo duro contra ação dos cambistas durante a Copa do Mundo

FIFA alerta que “a única fonte legítima de ingressos é o www.fifa.com” e que “mais nenhum outro site ou terceiro tem qualquer direito de vender legitimamente entradas para a Copa

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Fifa admitiu nesta quinta-feira que, a 21 dias do início da abertura da Copa do Mundo, com Brasil x Croácia, no Itaquerão, “cambistas inescrupulosos em todo o planeta continuam se aproveitando dos torcedores ansiosos por conseguir ingressos para os jogos do torneio”.

Segundo a entidade, “empresas, sites e pessoas físicas vêm, cada vez mais, oferecendo entradas a torcedores inocentes por meio de revendas não autorizadas a preços exorbitantes”.

O comunicado, divulgado em seu site, diz que a Fifa e a Match Enforcement, divisão da empresa Match Services contratada para detectar e deter a venda não autorizada de ingressos, “estão incrementando seus esforços e a cooperação com as autoridades para coibir tais atividades em todos os níveis”.

Reitera ainda que “a única fonte legítima de ingressos é o www.fifa.com” e que “mais nenhum outro site ou terceiro tem qualquer direito de vender legitimamente entradas para a Copa”.

“Para a Fifa, é fundamental proteger os torcedores dos riscos das vendas ilegais de ingressos”, afirmou o diretor de marketing da entidade, Thierry Weil. “Nas últimas semanas, infelizmente, estamos vendo cada vez mais pessoas saindo decepcionadas de nossos centros de venda por não conseguir retirar os ingressos comprados em sites não oficiais”.

Weil informou que a Fifa vem detectando e cancelando imediatamente “todos os ingressos descobertos como fruto de venda ou revenda ilegal”, e alertou que “seus portadores (dos ingressos adquiridos com cambistas) correm o risco de não ser autorizados a entrar nas partidas da Copa”.

“Assim como no futebol, combater o flagelo da venda não autorizada de ingressos requer um esforço em equipe”, disse Weil.

Segundo o executivo, desde 2012, portanto um ano antes do lançamento das vendas de ingressos, uma equipe especializada da Fifa e da Match Enforcement deu início a seus “trabalhos na luta contra a comercialização não autorizada de tíquetes”.

Tais vendas, disse, “são supervisionadas de perto para que possam ser efetivamente neutralizadas com o cancelamento dos ingressos e sua devolução ao estoque, quando sua ilegalidade é identificada”. Todos os esforços, afirma o comunicado da Fifa, “são para assegurar de forma eficiente as interfaces do processo de pagamento”. Também há ações contra “criminosos cibernéticos” nessas vendas ilegais.

A Fifa lembrou que o Brasil “tem uma lei consagrada, o Estatuto do Torcedor, que reforça as medidas contra a venda ilegal de ingressos”. Cita o Artigo 41º do estatuto, que afirma: “É crime vender ou fornecer um ingressos por valor superior ao de face.” A entidade e a Match Enforcement “vêm fornecendo informações às autoridades brasileiras para ajudá-las no cumprimento do estatuto e a processar quem viola a lei”.

O combate a esses cambistas não se limita ao Brasil: “Aplicam-se em escala internacional com o envolvimento das autoridades locais em suas respectivas jurisdições e, particularmente, com a colaboração íntima das autoridades de proteção ao consumidor, que têm amplos recursos legais”, diz o comunicado da Fifa.

E prossegue: “Se, em qualquer momento, um torcedor tiver dúvidas a respeito da legitimidade de uma suposta fonte de ingressos, pode entrar em contato com o Escritório de Emissão de Ingressos da Fifa pelo email enforcement@match-ag.com.”

Fonte: O Globo

Compartilhar:
    Publicidade