Fifa dará R$ 82 mi ao campeão e até R$ 235 mi ao Brasil

Blatter e Valcke anunciam valores das premiações e antecipam investimento em um novo fundo

 O secretário-geral Jérôme Valcke e o presidente da Fifa, Joseph Blatter, falam sobre o sorteio da Copa. Foto: Vanderlei Almeida/AFP
O secretário-geral Jérôme Valcke e o presidente da Fifa, Joseph Blatter, falam sobre o sorteio da Copa. Foto: Vanderlei Almeida/AFP

Depois de ser criticada por lucrar alto com a Copa do Mundo e não repassar parte dos valores arrecadados ao país-sede – um dos motivos dos protestos ao redor dos estádios na Copa das Confederações –, a Fifa decidiu anunciar nesta quinta-feira, véspera do sorteio dos grupos do Mundial, um milionário investimento no estímulo ao futebol de base e a projetos ligados à educação no Brasil.

A criação do chamado “fundo de legado” não é inédita: a África do Sul, anfitriã do último Mundial, já recebeu esse repasse da Fifa. A diferença, no caso do Brasil, será a abertura desse fundo antes mesmo do início do evento, numa aparente tentativa de melhorar a imagem da entidade no país.

De acordo com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, o fundo será iniciado com um investimento de 20 milhões de dólares e poderá passar aos 100 milhões – o equivalente a 235 milhões de reais – quando a Copa terminar. O secretário-geral Jérôme Valcke explicou que o funcionamento do fundo ainda está sendo estudado – não se sabe, por exemplo, se será criada uma fundação para administrar e repassar o dinheiro. Ele esclareceu que o objetivo não é ajudar os clubes e federações, mas sim financiar projetos ligados à formação de atletas e educação de jovens jogadores.

A Fifa abriu os cofres não só para os anfitriões, mas também para os 32 participantes do Mundial (além dos clubes que fornecerão os astros do torneio). Valcke anunciou que o prêmio destinado ao campeão em 2014 será de 35 milhões de dólares, o equivalente a 82 milhões de reais. Na África do Sul, a Espanha recebeu 30 milhões de dólares ao levantar a taça. O vice em 2014 valerá 25 milhões, enquanto o terceiro e quarto colocados ficarão com 22 milhões e 20 milhões, respectivamente. Quem ficar pelo caminho nas quartas leva para casa 14 milhões de dólares, e quem cair nas oitavas fica com 9 milhões. No total, o Comitê de Finanças da Fifa liberou 576 milhões de dólares, aumento de 37% em relação à África do Sul-2010. Boa parte dessa verba, porém, será reservada a um novo programa de compensação aos clubes que acabam sendo prejudicados por lesões sofridas por seus jogadores a serviço das seleções. Serão 100 milhões de dólares apenas para esse fim. Outros 70 milhões serão repassados aos clubes que fornecerem atletas aos 32 times participantes da Copa. A diferença entre os prêmios às seleções de 2010 e 2014 acabou sendo menor do que se previa: passou de um montante total de 348 milhões de dólares há três anos para 358 milhões no ano que vem.

Compartilhar: