Fifa vetou filhos de Mondragón em campo para comemoração

O regulamento da Fifa, no entanto, não permite a presença de pessoas sem a devida credencial nos campos de jogo

Aos 43 anos, goleiro da Colômbia tentou comemorar recorde com filhos, que estavam na arquibancada (foto); ao retornar com eles para o campo, foi barrado por fiscal da Fifa. Foto: Divulgação
Aos 43 anos, goleiro da Colômbia tentou comemorar recorde com filhos, que estavam na arquibancada (foto); ao retornar com eles para o campo, foi barrado por fiscal da Fifa. Foto: Divulgação

O goleiro Faryd Mondragon, 43 anos, entrou para a história nesta quarta-feira ao se tornar o jogador mais velho a atuar em Copas do Mundo. No entanto, a Fifa não permitiu que ele celebrasse seu feito em campo, como gostaria.

Mondragón deixou o banco de reservas nos dez minutos finais da partida entre Colômbia e Japão para substituir o titular, David Ospina. Em pouco mais de cinco minutos, chegou a praticar uma defesa, no chute de Yoichiro Kakitani.

No entanto, após o apito final, Mondragón tentou comemorar dentro do gramado com os filhos, Paolo e Lucca. O goleiro foi até as arquibancadas e buscou os dois, mas um fiscal da Fifa não permitiu que ele retornasse ao gramado com os dois, segundo o registro das imagens da televisão.

A intenção do jogador, segundo a imprensa colombiana, era dar uma volta olímpica no gramado da Arena Pantanal, palco da partida. O regulamento da Fifa, no entanto, não permite a presença de pessoas sem a devida credencial nos campos de jogo.

Aos 43 anos e 3 dias, Mondragón superou Roger Milla como o atleta mais velho a disputar a Copa do Mundo. Em 1994, o camaronês entrou em campo pela última vez no torneio aos 42 anos e 39 dias.

Curiosamente, o goleiro colombiano estava no banco de reservas da Colômbia em 1994, passando a titular em 1998 – última participação colombiana em Copas do Mundo antes de 2014.

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade