A figura de referência – Alex Medeiros

Ontem, a informação ficou truncada na diagramação da coluna. Para não oferecer jornalismo pela metade ao leitor, repito hoje a…

Ontem, a informação ficou truncada na diagramação da coluna. Para não oferecer jornalismo pela metade ao leitor, repito hoje a nota com os detalhes sobre os jovens craques de referência da seleção brasileira, que tem em Neymar um caso inédito.

A seleção brasileira de 2014 é a quarta em 100 anos de existência que tem sua referência num garoto de apenas 22 anos, o craque Neymar. Em 1962, Pelé estava para completar 22 e dividia as atenções com Garrincha de 29 anos. E saiu no segundo jogo.

Em 1998, Ronaldo tinha 22, mas dividia a referência com Rivaldo aos 26. A seleção da Copa de 1934 tinha três jovens referências (Leônidas, Patesko e Carvalho Leite). Neymar é pioneiro como figura de referência exclusiva e celebridade maior da seleção.

Ontem, na vitória sobre a Croácia, ele ilustrou mais ainda o ineditismo de referência solitária e superou grandes craques históricos como Pelé, Zico, Romário, Ronaldinho Gaucho, Rivaldo, Ronaldo e Kaká. Nenhum deles marcou na estréia pela seleção.

Confira abaixo a lista das referências brasileiras em todas as copas.

1930 – Fausto e Nilo tinham acima de 25 anos.

1934 – Os três jovens citados anteriormente, entre 21 e 22 anos.

1950 – Zizinho e Danilo Alvim tinham 29 e 30 respectivamente.

1954 – Bauer e Nilton Santos (ambos 29).

1958 – Didi (30).

1962 – Garrincha (29) e Pelé (22) ausente.

1966 – Pelé com 26 e Zito com 34.

1970 – Pelé e Gerson (29).

1974 – Jairzinho com 30 e Rivellino com 28.

1978 – Rivellino tinha 32, Zico 25 e Dinamite 24.

1982 – Zico e Sócrates com 28, Falcão com 29.

1986 – Sócrates e Zico (32) e Falcão (33).

1990 – Careca (30), Dunga (28), Romário (24).

1994 – Romário (28), Dunga (32).

1998 – Rivaldo (26) e Ronaldo (22) à meia-boca.

2002 – Rivaldo (30) e Ronaldo (26).

2006 – Ronaldo (30), Ronaldinho, Kaká e Cafu (todos 26).

2010 – Kaká (28), Robinho (26), Felipe Melo (27).

2014 – Neymar com 22 anos é a figura de referência. (AM)

Fora Dilma

O fantasma de Garrastazu Médici flutuou com orgulho sobre a Arena Corinthians. É que o general cansou de freqüentar jogos da seleção brasileira e jamais foi vaiado pela torcida. Dilma Rousseff experimentou o que Luiz Inácio havia sofrido no Maracanã.

Estréia

Por maiores que sejam os elogios ao time da Croácia, a ampla posse de bola do Brasil demonstrou a superioridade no jogo, que não teve no pênalti inexistente em Fred influência no resultado final. Será difícil para a Croácia superar o México e Camarões.

Críticas

Nem mesmo os torcedores pachecos arriscaram defender o juiz japonês. A marcação do pênalti sobre Fred foi escandalosa, como dizem hoje os principais jornais do planeta. Mas o Brasil venceria a Croácia de todo jeito, pois dominou o jogo no segundo tempo.

Oscar

The Oscar goes to… A partida magistral do jogador do Chelsea deu o tom de espetáculo na virada da seleção de Felipão e calou todos os analistas esportivos que pediam sua substituição definitiva por Williams. Como dizia Didi, “jogo é jogo, treino é treino”.

Faltou povo

Na transmissão da TV Globo, os espaços da Fan Fest nas doze sedes foram mostrados com multidões reunidas para assistir Brasil x Croácia no telão. O take em Natal fixou a imagem no palco, porque em baixo só havia algumas dezenas de turistas perdidos.

Faltou mídia

Era tudo que a neurovaidade não queria. O ato marqueteiro de Miguel Nicolelis quase passou despercebido no Itaquerão e no mundo inteiro. O governo do PT investiu R$ 33 milhões para um movimento milimétrico do pé de um cadeirante pela ação de um robô.

Medo do terror

O Frasqueirão seria o local de treino das oito seleções que jogarão em Natal, mas teve que dividir com a UFRN depois que os representantes dos EUA rejeitaram o estádio por causa dos prédios na vizinhança com acesso visual ao gramado. Haja neurose.

Alerta

As obras incompletas na Arena das Dunas ganharam a capa do portal UOL hoje cedo com uma conotação de perigo para os torcedores do primeiro jogo da Copa no estádio. Alerta baseado no posicionamento técnico do Corpo de Bombeiros de Natal.

Chuva

A maior torcida hoje de manhã foi no âmbito dos administradores da Arena das Dunas, que dever ter feito figa para que o temporal que desabou sobre Natal não prosseguisse na hora do jogo México x Camarões. Ninguém sai enxuto de lá em dia de chuva.

Enchentes

A elevação do rio Paraná e outros rios no sul, que afetou parte do estado do Paraná e até cidades argentinas, atingiu também 42 cidades de Santa Catarina, que agora tem 400 mil pessoas com prejuízos e mais 50 mil desalojadas e outras 6 mil desabrigadas.

Eleição

Os índices de aprovação do professor Robério Paulino (PSOL) na opinião pública já estariam superiores ao que ele alcançou na última eleição para prefeito de Natal. Pré-candidato ao governo do estado, RP tem conquistado votos em ambientes do PT.

Compartilhar:
    Publicidade