Flamengo corre risco de ser rebaixado no Brasileirão nos tribunais

Equipe escalou André Santos de forma irregular na partida contra o Cruzeiro, pela última rodada do torneio

André Santos foi expulso contra o Atlético PR. Foto:Divulgação
André Santos foi expulso contra o Atlético PR. Foto:Divulgação

Se o Fluminense pode se livrar do rebaixamento por causa de escalação irregular do jogador Héverton, da Portuguesa, outro clube do Rio de Janeiro se vê enrolado com as manobras de bastidores da competição nacional. Por também ter escalado André Santos de forma irregular em partida contra o Cruzeiro, o Flamengo também corre o risco de perder quatro pontos no torneio e cair para a segunda divisão. O lateral-esquerdo havia sido expulso na final da Copa do Brasil e deveria cumprir suspensão no jogo do último sábado, o que não aconteceu.

O Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil são competições da mesma confederação, portanto, elas se equivalem para a aplicação de penas de acordo com denúncia baseada no parágrafo primeiro do artigo 171 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). O artigo fala que “quando a suspensão não puder ser cumprida na mesma competição em que se verificou a infração, deverá ser cumprida na partida subsequente de competição realizado pela mesma entidade.”

Com 49 pontos ao fim do Brasileirão, o Flamengo perderia quatro pontos e ficaria entre os quatro últimos colocados do campeonato. O clube rubro-negro também pode cair se o Vasco conseguir impugnar a partida contra o Atlético-PR. A equipe cruzmaltina também entrou na justiça devido confusão entre as torcidas de ambos os times no último domingo. Se ao menos uma das punições para Portuguesa ou Atlético-PR acontecer, o Flamengo poderia ficar com 45 pontos e ser ultrapassado por um de seus rivais do Rio. Na 17ª e 18ª posição respectivamente, Fluminense e Vasco foram rebaixados para a Série B de 2014.

A CBF deverá entregar ainda nesta quarta-feira uma lista de jogadores usados de forma irregular nas últimas rodadas do Brasileirão ao procurador-geral do STJD, Paulo Schimitt, que levará o caso adiante para julgamento. Se a denunciar for confirmada, a ordem de classificação da parte debaixo do Brasileirão poderá ser alterada.

Fonte:Estadão

Compartilhar: