Fluminense volta a fazer investidas por atacante Wellington Nem

A diretoria do Tricolor carioca não pretende pagar pelo empréstimo do jogador, que não está adaptado ao futebol ucraniano e deseja retornar ao Brasil

Jogador já foi campeão brasileiro pelo Fluminense. Foto: Divulgação
Jogador já foi campeão brasileiro pelo Fluminense. Foto: Divulgação

A diretoria do Fluminense não vem dando qualquer tipo de declaração sobre o andamento da negociação com o atacante Wellington Nem. O objetivo é que nada possa ser mal interpretado em um momento que o jogador busca a sua liberação junto ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, dono de seus direitos federativos. Porém, nesta terça-feira os dirigentes tricolores enviaram ao clube ucraniano um documento mostrando que tem todas as condições de honrar com os salários do jogador caso os europeus aceitem um empréstimo.

Por conta de alguns atletas que tentaram junto à Fifa a liberação dos clubes ucranianos alegando problemas políticos no país e o risco de uma guerra de grandes proporções, o Shakhtar Donetsk exigiu que todos se reapresentassem na semana passada. O atacante cumpriu e vem cumprindo todos os compromissos com os ucranianos. Na segunda-feira ele se reuniu com dirigentes do clube e pediu que fosse liberado até dezembro para defender o Fluminense.

A diretoria do Tricolor carioca não pretende pagar pelo empréstimo do jogador, que não está adaptado ao futebol ucraniano e deseja retornar ao Brasil. Os cartolas, apostando na insatisfação do atleta, ofereceram recebê-lo sem custos até dezembro, pagando apenas cem por cento dos salários.

No documento enviado ao Shakhtar Donetsk, o Fluminense informa que teve uma grande redução em sua folha salarial com a saída de alguns jogadores que estavam fora dos planos da comissão técnica. Casos, por exemplo, do zagueiro Leandro Euzébio, que foi para o futebol do Catar, do lateral direito Wellington Silva, emprestado ao Internacional, e do lateral esquerdo Ronan, cedido ao Legia Varsovia, da Polônia.

A contratação de um jogador de velocidade para o setor ofensivo é um dos pedidos que o técnico Cristóvão Borges fez aos dirigentes como sendo prioridade, já que os principais atacantes do plantel neste momento são nomes de maior precisão e pouca mobilidade, como Rafael Sobis, Fred, Walter e Michael. O mais veloz é Biro-Biro, revelado nas categorias de base, mas que é visto como novo para assumir a condição de titular.

A necessidade é tanta que a diretoria já trabalha com um plano B caso não aconteça o acerto com Wellington Nem. Neste caso o nome a ser tentado é Vitinho, que deixou o Botafogo no ano passado para defender o CSKA Moscou, da Rússia. O jogador também não se adaptou ao futebol russo e deseja retornar ao Brasil.

“A diretoria do Fluminense está sempre atenta ao mercado e observando as possibilidades de contratações que possam agregar valores ao clube. Mas não falamos de nomes antes que exista qualquer definição, pois isso pode gerar uma frustração naqueles que torcem pelo time”, afirmou o diretor executivo do departamento de futebol, Paulo Angioni.

Dentro de campo, depois da segunda-feira de folga, o elenco do Fluminense se reapresentou na manhã desta terça para a realização de um treino físico. Todos os jogadores do elenco, à exceção do atacante Fred, servindo à Seleção Brasileira na Copa do Mundo, estão à disposição de Cristóvão Borges. Nesta quarta-feira o grupo volta a trabalhar na parte da manhã. O Fluminense volta a campo somente no dia 16 de julho, quando vai enfrentar o Criciúma, em Santa Catarina, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro Série A.

Compartilhar:
    Publicidade