Miss Bumbum: “Foi um susto. Sonhava com um príncipe, não uma princesa”

Ana Paula Souza, 27 anos, representa o DF no concurso de Miss Bumbum 2014. Ela tem tudo o que os homens adoram numa mulher. E é casada com outra, por quem morre de ciúme

Uma morre de ciúmes da outra, e as coisas costumam voar pela casa quando elas brigam. Foto: Divulgação
Uma morre de ciúmes da outra, e as coisas costumam voar pela casa quando elas brigam. Foto: Divulgação

Quando entrou no concurso, ninguém sabia, ou ao menos desconfiava, da orientação sexual de Ana Paula. É como se uma mulher assim, com tantos atributos físicos que agradam os homens, não pudesse possivelmente ser lésbica. Mas a natureza tem dessas coisas.

Como e quando você se descobriu homossexual? Foi difícil se assumir para a família e amigos?

Ana Paula: Meu primeiro relacionamento homoafetivo foi com a Bruna, minha atual parceira, há mais ou menos dois anos. Eu via mulheres bonitas e ficava atraída, mas nunca tinha me envolvido. Ainda existe muito preconceito, o que faz muitas pessoas não se assumirem e viver um casamento hetero de fachada. Penso que o importante é ser feliz, independente se sua felicidade é estar com uma pessoa do mesmo sexo ou não. Eu me surpreendi com a aceitação da minha família. Meus pais são religiosos e eu fiquei morrendo de medo, achando que eles viriam com uma bíblia pregando o evangelho, dizendo que Deus deixou no mundo o homem e a mulher para se reproduzirem. Mas não, meus pais disseram que me apoiam em tudo, e querem que eu seja feliz.

Como você conheceu a Bruna? 

Ana Paula: Nos conhecemos por algumas amigas em comum em uma balada em Goiânia. Até então eu nem imaginaria um dia ter relacionamento com mulher. Era um momento muito difícil da minha vida. Estava muito carente e nós duas conversávamos muito, ela se mostrou bem amiga, eu nem sabia que ela era lésbica. Com o passar dos dias, estávamos bem envolvidas, foi quando ela disse que gostava de mulher e que estava apaixonada por mim. Levei um susto, pois não esperava isso no momento. “Sempre sonhei com um príncipe encantado e não com uma princesa” (risos) Depois disso também fui me envolvendo, mas só fomos pra cama depois de três meses. Fiquei sem jeito, foi estranho, algo novo para mim, mas foi gostoso. Com o passar dos dias já não sentia falta de homem e ela já me completava totalmente.

Na última semana, a Miss Espanha 2008/2013 também se assumiu homossexual, sendo a primeira vencedora de um concurso de beleza nacional a sair do armário. Por que ainda vemos poucas homossexuais assumidas em concursos de beleza? 

Ana Paula: A sociedade é muito preconceituosa, e isso acaba reprimindo os ainda não assumidos. Sair do armário é uma decisão pessoal e com muitas conseqüências. Existe um efeito perverso reforçado pelo grande número de pessoas que ainda não saíram.

Qual a importância de sair do armário para a comunidade LGBT?

Ana Paula: A sociedade aceita melhor o que é mais comum. Num concurso de beleza, por existir tanto preconceito, pode prejudicar o participante e por isso muitos acabam não assumindo. Por estarmos na mídia, assumindo para o mundo a opção sexual, podemos ajudar outras pessoas a também se assumirem e mostrar que o importante é o amor.

Como você está lidando com os comentários homofóbicos postados na sua página?

Ana Paula: Eu já esperava essa reação das pessoas. Recebo mensagens de católicos e evangélicos com comentários repudiando minha situação. Mas esses mesmos parecem não ter a mínima idéia do que sejam virtudes exaltadas por Deus, como não julgar, amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. Será que essas pessoas estão amando a Deus quando condenam seus filhos?

Se você pudesse dar um conselho para outras meninas que gostariam de se assumir mas estão com medo da reação das pessoas, o que você diria?

Ana Paula: Sair do armário é ter forças para ser você mesmo, significa não mentir e nem se esconder. E ter orgulho e não medo de ser quem você é. Poucas coisas podem ser mais gratificantes do que isso.

Você teve algum contato com as outras participantes do concurso Miss Bumbum depois de se assumir? Como elas reagiram com a notícia?

Ana Paula: Tenho pouco contato com as meninas, mas com as que converso nunca tocaram no assunto.

Como você lida com o assédio do público masculino? Você alguma vez já teve que contar sobre sua orientação sexual para afastar os mais insistentes?

Ana Paula: Homens não estão nem aí se a mulher é hetero ou não. Eles ainda brincam que com duas é melhor. Levo na brincadeira até porque algo do tipo é impossível. Alguns me enviam mensagens dizendo que não se importam com minha orientação sexual, outros dizem nem acreditar.

Agora que você contou publicamente sobre sua orientação sexual, o assédio das fãs mulheres deve ter aumentado bastante. Como a Bruna está lidando com isso? Ela tem muito ciúmes?

Ana Paula: Tenho recebido muitas cantadas de mulheres e por sinal mulheres lindas. Inclusive até mulheres casadas com homens, dizendo que têm curiosidade de ficar com mulher e perguntando se tinham alguma chance comigo. Eu e a Bruna somos doentes de ciúmes, já até pensamos em procurar ajuda psicológica, pois uma quer controlar a outra o tempo todo. Já brigamos algumas vezes em público inclusive, porque não sei deixar nada para depois e ela muito menos. Se fico no celular ela já vem e pergunta com quem converso e eu sou do mesmo jeito. Se aparece uma pessoa nova na agenda já é motivo para uma boa discussão. Quando recebo cantadas de mulheres ela fica achando ruim, mas tenta encarar com profissionalismo.

Se estamos juntas há dois anos, realmente existe amor, porque os móveis da casa e as louças temos que repor constantemente (risos). Ela aqui do meu lado já brigando comigo que não deveria falar essas coisas, hahaha!

Fonte: IG

Compartilhar:
    Publicidade