Fora da Feira de Turismo de Madrid, RN perde oportunidades com a Copa

Evento mostra estádios construídos para o mundial

Um dos maiores congressos de turismo do mundo, expõe preparativos da Copa, mas RN não enviou nenhum representante. Foto: Heracles Dantas
Um dos maiores congressos de turismo do mundo, expõe preparativos da Copa, mas RN não enviou nenhum representante. Foto: Heracles Dantas

Marcelo Hollanda
hollandajornalista@gmail.com

Com apenas R$ 4 milhões no orçamento e um crédito para gastar em passagens aéreas de R$ 250 mil, a Empresa de Turismo do Rio Grande do Norte (Emprotur) não enviou um único representante à 34ª edição da Feira Internacional de Turismo de 2014 – Fitur, em Madri, na Espanha, o terceiro maior evento de sua natureza no planeta.

De Natal, apenas os empresários da hotelaria Rui Gaspar e Nilson dos Anjos desembarcaram por lá na intenção de fechar bons negócios para os seus estabelecimentos. Tiveram a mesma ideia quase todos os Estados nordestinos, da vizinha Paraíba, passando por Pernambuco, Ceará, Bahia e Alagoas, para ficar só nesses exemplos.

Neste sábado, o presidente da Emprotur, Sandro Pacheco, admitiu que o cobertor foi curto para pensar na Fitur e ele preferiu focar em outros eventos para acontecer neste semestre nos Estados Unidos e  México, onde suas seleções jogarão no estádio Arena das Dunas, embora não tenham escolhido o estado para se hospedar.

Para o consultor de eventos Pedro Nogueira, não surpreende que no ano da Copa, sendo Natal uma das 12 sedes do megaevento da Fifa, a capital potiguar se limite aos louros da inauguração de um novo estádio de futebol, enquanto seus vizinhos não perdem tempo e fecham o máximo de oportunidades num evento onde estão todos os segmentos turísticos que importam. “Depois ficam lamentando aqui porque não conseguimos planejar ou realizar coisa alguma”, desabafa.

Sem secretário de Turismo desde dezembro, com mais de R$ 230 milhões em recursos federais negociados por ele em suspensos, Pedro Nogueira dá o diagnóstico mais provável para o autismo. “É pura falta de planejamento”, afirma. Mais grave: “é aversão por qualquer coisa que implique em planejar”.

Aberta na última sexta-feira (24) e encerrando neste domingo (26) a Embratur disponibilizou  um estande de 509 m² para acomodar sem ônus 42 coexpositores.

Como não poderia faltar, produtos da gastronomia brasileira são oferecidos para divulgar novos voos do Brasil para Espanha.   Ou, como diz a diretora de Mercados Internacionais da Embratur, Leila Holsbach,  a Fitur é um excelente ponto de encontro do Brasil com profissionais de turismo de todo o mundo. Neste ano, a Feira deve receber 210 mil visitantes, dos quais sete mil são jornalistas de 59 países.

Ali, foi lançado neste fim de semana o Pênalti Virtual, onde o usuário pôde conhecer, de forma interativa, os estádios das 12 cidades da Copa do Mundo FIFA 2014 – e, entre eles, é claro, o Arena das Dunas. Quem chegar por lá também pode tirar uma foto com um ponto turístico da cidade-sede de fundo e enviar por email, ou postar diretamente no Facebook .

Um dos estados nordestinos que deve se dar bem na Fitur é a Bahia.  Desde novembro, em Salvador, a oferta total da AirEuropa  de voos entre os dois países pulou de três para nove. Hoje, partindo do aeroporto soteropolitano, são quatro voos semanais, sendo que, até abril deste ano, serão mais  cinco com destino à Madri. Partindo de São Paulo (Guarulhos), a companhia aérea já opera com cinco voos semanais que liga o estado à cidade espanhola, totalizando 14 frequências por semana entre os dois países.

Compartilhar: