FORÇA

A conquista do apoio do PTB ao seu projeto político, reforça o quanto o deputado Henrique Alves tem conseguido usar…

A conquista do apoio do PTB ao seu projeto político, reforça o quanto o deputado Henrique Alves tem conseguido usar sua força de presidente da Câmara para atrair legendas para seu palanque. A idéia do presidente do PTB no RN, Aldair da Rocha, era ficar com Robinson Faria, mas o presidente nacional do partido, Benito Gama, não aceitou e determinou a mudança.

PALANQUE

Com o apoio de Benito Gama e de Aldair da Rocha, o deputado Henrique Alves acrescenta o ex-deputado Rogério Marinho, do PSDB e já contabiliza três ex-secretários de Rosalba em seu palanque. Sem contar com o ex-titular da SETHAS, professor Luís Eduardo e do secretário da Copa, Demétrio Torres, que acompanha o senador José Agripino.

DISCURSO

Contando com boa parte do Governo Rosalba Ciarlini em seu palanque, fica complicado para Henrique Alves continuar usando o termo que vai “salvar o RN”. Salvar de quem? Sem esquecer que o PMDB participou efetivamente e deu sustentação política durante quase todo o mandato da Rosa.

MÁQUINA

O deputado Henrique Alves usou seu gabinete oficial na presidência da Câmara, para receber o apoio político do presidente do PTB no RN, Aldair da Rocha. O uso da máquina de forma explícita, sem nenhuma preocupação com a legislação eleitoral. Tudo documentado pela própria assessoria. Imagine o que não é visto.

ABUSO

O que preocupa é que os políticos pouco se preocupam com eventuais abusos que cometem de forma explícita. O pior é que são eles que fazem as leis para não respeitá-las depois. A sensação de impunidade alimenta esse tipo de comportamento da classe política.

SECUNDÁRIO

O senador José Agripino já sentiu o quanto secundária será sua posição no palanque de seu ex-inimigo Henrique Alves. Durante o jantar do presidente do PMDB com prefeitos em Brasília, Agripino ficou com o filho Felipe bem distante das demais lideranças. Suas companhias eram o prefeito de Afonso Bezerra e outro inexpressivo. O pai de Felipe ficou isolado dos líderes. E parece que não gostou.

DESTAQUE

Como não disputará cargo nesta eleição, o senador José Agripino ficará em posição realmente secundária no palanque. Apesar de ser um mais melhores oradores do País, o pai de Felipe absorveu também o desgaste da governadora Rosalba Ciarlini e será subordinado a Henrique, Wilma e João Maia no palanque. Além do mais, ainda terá que ouvir várias críticas ao Governo de seu partido. Em silêncio e sem direito a protesto.

ALTERNATIVA

A cada dia que passa, fica mais claro que o caminho a ser percorrido pela chapa Robinson Faria/Fátima Bezerra deve ser mesmo a rua, o contato com o eleitor. As lideranças do interior estão vinculadas, principalmente por força de suas legendas, ao projeto de Henrique e Wilma. Como há rejeição forte do eleitor tanto ao nome de Henrique, quanto a aliança que foi feita, o alvo é o eleitorado, que nem sempre acompanha o pedido da liderança local em eleição estadual.

PRESENÇA

Os políticos precisam ter cuidado com a tentativa permanente de querer aparecer, de marcar presença em qualquer evento que tenha visibilidade. A vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria, além de aparecer nas inaugurações do Governo Dilma, como agências bancárias e da Previdência, agora apareceu até na sessão da Assembleia, que se instalou em Passa e Fica.

IMPEACHMENT

O deputado Hermano Morais vai ser o relator do processo de impeachment da governadora Rosalba Ciarlini. Com perfil sério, Hermano tem a responsabilidade de justificar legalmente se há amparo jurídico ou não o pedido feito por 26 entidades que integram o MARCCO e estão representadas por cidadãos que assinaram oficialmente o pedido.

IMPEACHMENT II

Caberá a CCJ da Assembleia, debater sua admissibilidade ou não. Como preenche os requisitos legais, o pedido deverá ser admitido e enviado ao plenário. A partir daí, é que deverá receber um forte peso para não andar. Afinal, não há interesse da maior parte da Assembleia, em mudar o quadro atual. Para eles, Rosalba tem que sangrar até o fim sem ser candidata. É o jogo das conveniências.

Compartilhar: