França pode vender quadro de Monalisa para quitar dívida nacional

Obra de Leonardo da Vinci é considerada de "valor inestimável", mas pode ajudar a pagar a conta do país

Quadro é tido como um tesouro nacional e, por lei, pertence ao povo e não pode ser comercializado pelas autoridades. Foto: Divulgação
Quadro é tido como um tesouro nacional e, por lei, pertence ao povo e não pode ser comercializado pelas autoridades. Foto: Divulgação

Uma das obras mais famosas do mundo, a Monalisa, de Leonardo da Vinci – que está em exposição no Museu do Louvre, em Paris – pode ser responsável pela salvação do drama econômico francês. Isso porque o país parece estar planejando a venda do quadro para quitar a sua vasta dívida nacional.

Segundo o Daily Mail, a obra já foi avaliada pelo Guinness Book como o quadro com o seguro mais caro do mundo e não possui um preço fixo atual. A avaliação foi feita em 1963 e o valor estimado foi US$ 100 milhões (cerca de R$ 223 milhões), sendo que, a cada ano, esse valor aumenta. Hoje, Monalisa é conhecida como uma obra de “valor inestimável”. Enquanto isso, a dívida externa e interna francesa beira estimados US$ 2 trilhões (mais de R$ 4 trilhões).

A informação de que o governo venderia a obra de Da Vinci está sendo amplamente divulgada pela imprensa francesa nos últimos dias, mas ainda não foi confirmada por nenhuma autoridade e nem pelo presidente François Hollande.

De acordo com o site de notíciasFrance 24 hours, “o sorriso enigmático que atrai milhares de turistas por ano no Louvre pode fazer o governo francês sorrir também, aliviando a dívida nacional”.

No entanto, o site ressalta que o quadro é tido como um tesouro nacional e, por lei, pertence ao povo e não pode ser comercializado pelas autoridades. O que o governo pode cogitar é a alteração da lei que prevê tais impedimentos e, só depois, a venda da obra.

Compartilhar:
    Publicidade