Franklin Capistrano: “Claro que Wilma poderá ser candidata à governadora”

Vereador do PSB afirma que não há acordo fechado com o PMDB e poderá haver mudanças na chapa

6u56u56uurewtyhrty

Alex Viana

Repórter de Política

Presidente da Câmara Municipal de Natal eleito para o biênio 2015/2016, o vereador Franklin Capistrano (PSB) assegura que a presidente estadual do seu partido, vice-prefeita de Natal e ex-governadora Wilma de Faria, poderá, sim, disputar o governo do Estado nas eleições deste ano. A pessebista negocia com o PMDB e outros partidos a formação de uma aliança em que ela disputaria o Senado, mas questões internas envolvendo o PSB nacional estariam dificultando a confirmação deste projeto.

A necessidade de montagem de um palanque nítido pró-presidenciável Eduardo Campos (PSB) no Rio Grande do Norte e as restrições impostas pela candidata a vice-presidente da República Marina Silva (PSB) à aliança do PSB com o PMDB no Estado se constituem, no momento, um forte empecilho à aliança potiguar. Além disso, pesquisas apontariam a preferência de Wilma para o governo do Estado.

A vice-prefeita também não teria maiores dificuldades eleitorais, já que os principais adversários dela numa eventual campanha para o governo desistiram da disputa – o ex-governador Garibaldi Filho (PMDB) e o prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT). “É possível que Wilma seja candidata ao governo. Porque, quem está querendo, não é Wilma e o PSB, são as indicações do povo. Aí vamos definir. Mas estamos conversando”, disse Franklin Capistrano, ressaltando que o PSB não tem restrição com nenhum outro partido. “Não temos arestas com outros partidos. Nenhuma. A política é a arte da conversa, da sabedoria e do discernimento”, avalia o vereador Franklin Capistrano, informando que o PSB será prudente na sua decisão em relação ao pleito de 2014.

“A gente está escutando o Rio Grande do Norte, estamos escutando, principalmente, o povo do Estado, através de consulta. Dependendo da tendência das pessoas, é que a gente vai tomar uma posição mais precisa. Mas, agora, continuamos o processo de consulta. Ainda temos tempo. Temos abril todo, o mês do maio, e o mês de junho, quase três meses, para tomarmos uma posição”, acrescenta o vereador.

A ex-governadora Wilma de Faria desponta com chances reais de conquistar o governo do Estado nas eleições de outubro deste ano. Líder em todas as pesquisas, ela venceria o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB), e o vice-governador Robinson Faria (PSD), se a eleições fossem hoje. Com o ministro da Previdência, Garibaldi Filho, e o presidente do PDT, Carlos Eduardo Alves, fora do páreo – eles perderam o prazo de desincompatibilização -, a ex-governadora é quem teria mais chances de disputar e vencer as eleições deste ano para o governo do Estado do RN.

“Diz o ditado popular que a pressa é inimiga da perfeição. Não adianta pressa. Esperando, chegaremos lá. Vamos ter que conversar. Principalmente neste terreno onde os ventos ora sopram favoráveis, ora sopram desfavoráveis. É preciso observar a situação com muita tranquilidade, e ver como o tempo vai ficar na sua estabilidade, o que vai fazer bem a todos nós, inclusive ao povo do RN. Estabilidade para todos”, completou o vereador.

 

ACERTO, NÃO

Indagado sobre a aliança do seu partido, o PSB, com o PMDB do deputado Henrique Alves e outras legendas, para o pleito eleitoral deste ano, Franklin Capistrano disse que o que há, por ora, são apenas conversas. “Há conversa, e conversa não é acerto. Acerto é quando está acertado. Há conversas. Que podem haver com eles (PMDB, PR, PROS), como com qualquer outro que esteja interessado em conversar”, disse o vereador.

As palavras do vereador põem em dúvida a aliança suprapartidária feita em torno das candidaturas de Henrique para governador, Wilma senadora e o deputado federal João Maia, presidente do PR, como postulante a vice-governador. Por outro lado, alimentam aliança do PSB com o PT, da deputada federal Fátima Bezerra, por via da qual Wilma disputaria o governo e Fátima, o Senado. “O PSB é autônomo para tomar o caminho e o rumo que quiser”, sinaliza Capistrano.

Nos bastidores, corre a informação de que Wilma de Faria até deseja concorrer ao Senado, mas a pressão interna, dentro do PSB, é no sentido de que ela dispute o governo do Estado. Integrantes da executiva estadual do PSB preferem o projeto Wilma governadora e, em nível nacional, a candidatura de Wilma ao governo é incentivada pelo pré-candidato do PSB a presidente da República, Eduardo Campos.

Nessa linha, a ex-senadora Marina Silva (PSB), que será vice de Eduardo Campos, publicou uma nota, atacando Henrique Alves, provável nome a governador na aliança que o PSB articula no estado. Segundo Marina Silva, o potiguar “representa a continuidade dos problemas que assolam o estado do Rio Grande do Norte, secularmente governado por essa oligarquia”.

A nota da Rede Sustentabilidade foi endossada por Marina Silva – ela postou no site da Rede e publicou no Twitter – caiu como avalanche na aliança entre o PSB e o PMDB do Rio Grande do Norte, ameaçando desintegrar a aliança.

Para completar, a candidatura de Fátima Bezerra representa forte ameaça ao projeto de Wilma chegar ao Senado. Em conversa recente com o presidente da Câmara, Wilma cobrou a retirada da candidatura de Fátima ao Senado, o que seria empreendido por Henrique nacionalmente com a força da Presidência da Câmara. Até agora, o deputado não conseguiu demover o PT nacional de lançar Fátima senadora, o que também tem ajudado a afastar Wilma do projeto do PMDB.

O vereador Franklin Capistrano é ponderado, e defende que o PSB continue conversando, visando um entendimento. Ele quer que as coisas sejam resolvidas favoravelmente ao PSB. Se não, o PSB tomará seu próprio rumo; “É conversando que a gente se entende. É conversando que a gente vai a um porto seguro. Às vezes estamos em mares tormentosos, então é preciso conversar para chegar a um porto seguro”, declarou.

Compartilhar: