Doação milionária: Mãe Luiza inaugura moderno ginásio poliesportivo e cultural

Construída em uma área de 2 mil metris quadrados, Arena conta com quadra poliesportiva para basquete, vôlei, handebol e futsal

Arena-do-Morro---ginasio-de-Mae-Luiza-JA

Em meio à fama de apresentar um dos maiores índices de criminalidade de Natal, o bairro de Mãe Luiza, localizado na zona Oeste da cidade, contará com um novo ginásio poliesportivo. Batizado de “Arena do Morro”, o ginásio traz uma estrutura moderna, com serviços nas áreas de esporte, lazer e cultura, além do apoio as atividades escolares da comunidade.

A obra é fruto de uma doação que foi feita através de uma parceria entre a Fundação Ameropa e o Centro Sócio Pastoral Nossa Senhora da Conceição. O projeto foi concebido pelo escritório de arquitetura Herzog & de Meuron, responsável pela construção do Ninho do Pássaro, palco da Olimpíada de 2008, na China.

Ressaltando a importância do local para a comunidade, Ion Andrade, vice-presidente do Centro Pastoral, conta que “em Mãe Luiza, comprar um revólver é mais fácil que comprar um violão, porém a obra trará uma mudança de página, pois a juventude e toda a população poderá desfrutar de um espaço multiuso, atendendo as necessidades locais”.

A Arena do Morro tem parceria com o Governo do Estado, que se comprometeu a instalar uma escola profissionalizante no local, mas que, até o momento, não encaminhou nenhuma proposta para andamento das negociações, relata Ion. Já a Prefeitura do Natal apoiará a obra de padronização e acessibilidade das calçadas do bairro.

Construída em uma área de 2.052m², localizada na Rua Camaragibe, a Arena conta com quadra poliesportiva para basquetebol, voleibol, handebol e futebol de salão, além de 350 assentos. A obra também dá suporte à Escola Estadual Dinarte Mariz e, para isso, dispõe de sala multiuso, salas adicionais, sala dos professores, copa, vestiários, sanitários e depósitos.

De acordo com a equipe do escritório de arquitetura Herzog & de Meuron, o processo de design partiu da identificação de atividades urbanas inexistentes ou pouco desenvolvidas no bairro, reconhecendo espaços disponíveis em meio à área densamente edificada e distribuindo novas atividades entre as áreas disponíveis para o desenvolvimento.

Padre Robério, pároco da região, relata que a empreitada é uma conquista para Mãe Luiza. “A comunidade participou desde o início do projeto até a construção, na luta de não só esporte e lazer, pois o objetivo é enfrentar a violência, melhorando a vida dos moradores” disse.

Nicole Miescher, presidente da Fundação Ameropa, diz que a ideia do projeto é alterar a visão de que no bairro só existe coisas ruins. “Mãe Luiza é um bairro muito atrativo. Queremos fazer mudanças nas vidas das pessoas e o projeto é o início”.

Compartilhar:
    Publicidade