Funcionário não é liberado para vir ao RN e mata o patrão a facadas

Acusado trabalhava como vendedor ambulante

Homem diz que não lembra do crime, pois estava bêbado. Foto: Divulgação
Homem diz que não lembra do crime, pois estava bêbado. Foto: Divulgação

Um vendedor ambulante matou o chefe após ter o pedido de férias negado no município de Itatim, localizado a cerca de 200 km de Salvador. Francinaldo Pereira, 39 anos, ganhava por comissão e viajava pelo Estado vendendo as mercadorias. O homem contou que trabalhava para a vítima a mais de dois a nos e já tinha mais de um ano que não tirava férias. Quando pediu para que o chefe liberasse para passar alguns dias com a família, que mora no Rio Grande do Norte, o patrão negou o pedido e disse que se ele fosse iria matá-lo.

Os dois começaram a discutir e o acusado desferiu um golpe de faca contra a vítima. Segundo Pereira, ele não lembra como tudo aconteceu, pois estava bêbado. O homem disse que foi um momento de fraqueza e está arrependido.

“Não tem nenhum motivo que justifique tirar vida de ninguém. Piorou 100 vezes mais a minha situação. Estou arrependido mesmo.”

O acusado afirmou que trabalhava que nem escravo e, como ganhava por comissão, tinha dias que não recebia nem para comer. O delegado disse que nessas situações o acusado tenta dar uma versão diferenciada do fato para tentar justificar o crime, dando uma ideia de legitima defesa, mas o fato é que ele matou o patrão porque não conseguiu as férias.

Fonte: R7

Compartilhar:
    Publicidade