Funcionários de terceirizada entram em greve e Parnamirim fica no ‘lixo’

Garis da empresa Líder estão com salários de janeiro e benefícios em atraso

Paralisação teve início na quarta-feira passada e, desde então, muito lixo ficou acumulado  nas principais vias da cidade. Foto: José Aldenir
Paralisação teve início na quarta-feira passada e, desde então, muito lixo ficou acumulado
nas principais vias da cidade. Foto: José Aldenir

Desde a última quarta-feira (12), o município de Parnamirim não tem coleta de lixo e por toda a cidade é possível observar amontoados de sacos, além do mau cheiro. O motivo para o problema é que os empregados da empresa Líder, terceirizada contratada pela prefeitura municipal para fazer a limpeza pública, estão de greve por não terem recebido o salário do mês de janeiro, além de outros benefícios.

“No mês de janeiro a empresa fez parte do pagamento de alguns funcionários e de outros não fez pagamento nenhum. Além disso, também não pagaram o terço de férias, o vale-alimentação e a pensão alimentícia”, destacou Bruno Oliveira, tesoureiro do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público de Parnamirim (Sintserp), que está dando apoio aos manifestantes. De acordo com os trabalhadores, os problemas não são recentes. Pelo menos há três anos isso vem acontecendo, mas que agora eles no limite.

“É a primeira vez que nós estamos fazendo greve, mas nós estamos sofrendo há tempos. A questão de férias, por exemplo, não foi pago nos últimos três anos. Também não foi a primeira vez que eles atrasaram o pagamento. Só que chega uma hora que os trabalhadores precisam fazer alguma coisa”, frisou Francisco Canindé, representante dos funcionários da empresa.

Durante a manifestação, que ocorreu na Líder na manhã desta quarta (19), o Sindsert fez uma denúncia alegando que trabalhadores que reclamavam da empresa pelo atraso nos pagamentos eram penalizados com suspensão. A reportagem tentou entrar em contato com algum representante da Líder, mas ninguém quis falar, pois estavam ocupados. Sem conseguirem entrar em acordo com a Líder, os trabalhadores se dirigiram para a Prefeitura, onde foram recebidos pelo chefe do Gabinete Civil, Henrique Costa.

Prefeitura diz que está em dia com a Líder

Em contato com os trabalhadores, Henrique Costa garantiu que tudo o que foi acordado com a Líder está em dia, inclusive um total de R$ 397 mil foi depositado na conta da empresa nesta terça-feira (18), e disse que realmente não entende os motivos para o atraso nos pagamentos. “A Líder não vem cumprindo o que foi acordado com os trabalhadores. O que nós combinamos com a Líder, nós estamos cumprindo e nós passamos isso para os trabalhadores. Agora vamos tentar nos reunir com a empresa para saber o que está acontecendo”, destacou.

Uma das ações que a Prefeitura pretende realizar para regularizar a situação de coleta de lixo na cidade é de rescindir o contrato com a Líder. “Conversamos com o secretário Gutemberg Paiva (Secretaria de Limpeza Urbana) e vamos tomar as providências possíveis para que tanto os trabalhadores como a população não passem mais por situações como essa. Temos contrato com a Líder até junho, mas como ela não está cumprindo com o que foi combinado e tem deixado a cidade sem coleta de lixo, nós podemos rescindir esse contrato. Mas antes vamos conversar com a empresa para saber o que está ocorrendo”, finalizou Henrique.

MUTIRÃO

No final da manhã de hoje, a Secretaria de Limpeza (Selim) enviou nota à imprensa para informar que, de acordo com o secretário Gutemberg de Paiva Xavier, será realizado, em caráter emergencial, um mutirão para regularizar a situação nos bairros afetados. Dez caminhões estarão nas ruas a partir desta quinta-feira (20) para resolver o problema. Além disso, a nota também informa que o prefeito Maurício Marques autorizou a realização de uma nova licitação para contratar uma nova empresa que atenda a necessidade do município.

 

Compartilhar: