Fernando do Camarões recebeu elogios até do ex-presidente Bill Clinton

Ele lutava há alguns anos contra um câncer no intestino, tendo, inclusive, feito tratamento nos EUA

A psicóloga Clara Bezerra de Medeiros, ao lado do seu pai, Fernando Medeiros. Foto: Divulgação
A psicóloga Clara Bezerra de Medeiros, ao lado do seu pai, Fernando Medeiros. Foto: Divulgação

Marcelo Hollanda
hollandajornalista@gmail.com

O empresariado potiguar está de luto. Faleceu na manhã dessa sexta-feira, Fernando Medeiros, 57, proprietário e fundador do restaurante Camarões. Ele lutava há alguns anos contra um câncer no intestino. Nos últimos dias, estava internado na UTI do hospital da Unimed, e não resistiu ao avançado estágio da doença. Natural de Caicó, Fernando foi um empresário que deu visibilidade à gastronomia potiguar através do seu negócio com a carcinocultura. O restaurante Camarões Potiguar, situado às margens da avenida Roberto Freire, em Ponta Negra, é um estabelecimento bastante conhecido e muito respeitado pelo alto padrão de qualidade dos seus pratos, até mesmo fora do Brasil.

O velório acontece no cemitério Morada da Paz, em Emaús, e o sepultamento será no final da manhã deste sábado.

Reservado, avesso a entrevistas, eternamente dividido pelo dilema de expandir nacionalmente sua marca vitoriosa, a rede de restaurantes Camarões, ou manter-se calmamente seguindo na cidade que escolheu para viver e trabalhar, o caicoense Fernando de Medeiros Santos, 57 anos, faleceu na tarde desta sexta-feira (17), vítima de um câncer no intestino. O empresário deixa um legado pessoal e empresarial sem precedentes em seu segmento de negócio.

Fernando Medeiros deixa sua obra no auge do sucesso. Foto: Heracles Dantas
Fernando Medeiros deixa sua obra no auge do sucesso. Foto: Heracles Dantas

A notícia de seu falecimento desencadeou instantaneamente uma avalanche de mensagens nas redes sociais e notas de consternação da governadora Rosalba Ciarlini, do prefeito Carlos Eduardo e de empresários. Mas nada disso se comparou à multidão anônima que, mesmo sem conhecer o fundador do “Camarões”, lamentou a prematura saída de cena de um dos maiores nomes da gastronomia potiguar.

Fernando Medeiros construiu a partir de uma visão privilegiada do mercado uma prestação de serviços regular, onde raramente se nota variação de qualidade e onde o ambiente, o serviço, e até o tamanho das porções parece milimetricamente medido para causar satisfação e despertar o desejo de voltar.

Por isso mesmo, o empresário nunca sentiu a necessidade de investir em mídia na medida em que outros negócios do gênero o fazem. Depois de alguns anos e com a multiplicação dos pontos, menos ainda, porque a marca foi se consolidando de uma maneira tão efetiva e incontestável que não conhecer era como confessar total alienação das boas coisas da cidade. E quem chegava de fora já queria saber imediatamente do que se tratava.

Fachada do restaurante Camarões Potiguar, em Ponta Negra. Foto: Divulgação
Fachada do restaurante Camarões Potiguar, em Ponta Negra. Foto: Divulgação

Apontado várias vezes pelo Guia Quatro Rodas como um dos cinco melhores restaurantes do Brasil, o Camarões Potiguar, a joia da coroa enobrecida pelo atendimento impecável e cuidados internos com o grau de satisfação dos funcionários logo virou “referência gastronômica”. Aquela que nunca oscila porque é confiável, que se pode indicar sem susto.

Por anos seguidos, “Camarões” foi destaque nas publicações que promovem as marcas mais lembradas na cidade – isso sem que o fundador mostrasse uma ponta de interesse objetivo no que acontecia. E não era por arrogância e sim porque ele estava focado em outras coisas em um ofício onde as pessoas trabalham muito.

O assédio de interessados em transformar o “Camarões” em franquia nacional era outro problema na medida em que propunha o crescimento da rede quase como uma obrigação. Era uma conversa incômoda, já que conflitava com a ideia de crescer com alguma qualidade de vida para os donos. E plantar uma franquia significa viagens, muitas reuniões, formatação de novos modelos gerenciais e por ai afora. Tudo o que o fundador não queria.

Fernando Medeiros com o amigo de longas datas Bibica Di Barreira. Foto: Divulgação
Fernando Medeiros com o amigo de longas datas Bibica Di Barreira. Foto: Divulgação

Certa vez, em uma das muitas matérias publicadas na Veja Natal, a publicação descrevia a hora do almoço em um dos Camarões. Se ainda estivesse nesse plano, Fernando Medeiros certamente aprovaria:
“Ali, aos domingos, a espera por uma mesa pode durar uma hora e meia – muita gente se entusiasma e, sem ao menos abrir o cardápio, investe no pastel de camarão com catupiry mais famoso da cidade. Uma equipe de três cozinheiros dedica-se diariamente à confecção da massa e, em cada um dos endereços da rede, uma pessoa por turno é responsável pelo recheio (…) Uma vez na mesa, para dar sequência à refeição, duas pessoas podem dividir a versão batizada de internacional. Depois de flambadas em conhaque, unidades graúdas do pescado são dispostas sobre arroz cremoso com ervilha e presunto. Gratinada com mussarela e parmesão, a receita é acompanhada de batata palha(…) Também para dois e com sotaque regional, o jerimum assado chega recheado de camarão ao molho de tomate, pimentão, cebola e lascas de coco. A abóbora é gratinada com queijo de coalho e recebe cobertura de castanha-de-caju antes de ser servida ao lado de arroz de brócolis e macaxeira frita (…) Completam os pedidos as cervejas e as sobremesas, como a que reúne morango, amora e framboesa chamuscados em Cointreau mais musse de iogurte, raspas de limão e crocante de castanha(…)”.

Em junho de 2010, durante seis horas em que passou em Natal, onde proferiu palestra, o ex-presidente Bill Clinton, aproveitou para saborear as famosas iguarias do restaurante de Fernando. Segundo os garçons, Clinton não poupou elogios ao prato Camarão à Parisiense.

Ex-presidente norte americano, Bill Clinton. Foto: Divulgação
Ex-presidente norte americano, Bill Clinton. Foto: Divulgação

 

Bill Clinton não poupou elogios ao Camarão à Parisiense, servido no restaurante de Fernando. Foto: Divulgação
Bill Clinton não poupou elogios ao Camarão à Parisiense, servido no restaurante de Fernando. Foto: Divulgação

 

Compartilhar: