Garis devolvem ingresso achados em Curitiba e ganham dois “em troca”

A atitude nobre dos garis emocionou os catarinenses

Garis foram pegos de surpresa momentos antes da partida entre Rússia e Argélia. Foto: Divulgação
Garis foram pegos de surpresa momentos antes da partida entre Rússia e Argélia. Foto: Divulgação

Uma situação inusitada aconteceu na semana passada e o gesto de solidariedade se consolidou nesta quinta-feira, na partida entre Rússia e Argélia, na Arena da Baixada – partida que finalizou a participação de Curitiba na Copa do Mundo.

Valdir Tavares, que trabalha em uma empresa terceirizada prestadora de serviços para a Prefeitura, trabalhava normalmente quando encontrou um ingresso para o Mundial ao utilizar o Tenaz, objeto usado pelos garis para espetar e recolher o lixo jogado nas ruas. “Eu devolvi, como devolveria qualquer coisa que não fosse minha. Nem prestei atenção no valor. Não era uma opção, é uma questão de caráter”, contou Valdir, que disse ter aprendido seus valores com seu pai.

Sem saber do que se tratava o papel, que possuía dizeres em língua estrangeira, Tavares resolveu perguntar o que era e chamou seu colega de trabalho, Nilton Rodrigo dos Santos, que percebeu o bilhete valioso. “Reconheci o ingresso da Copa e logo ficamos preocupados em encontrar o dono. Em nenhum momento passou pela nossa cabeça ficar com o bilhete”, comentou.

A história também passa pelo voluntário da Fifa, Aparício Silva Neto, que atendeu o torcedor desesperado por ter perdido o ingresso do jogo desta tarde. “Um cara chegou aqui assustado, avisando que tinha perdido o ingresso. Pensei que ia ser muito complicado encontrar, mas, pouco depois, apareceu o Valdir dizendo que tinha encontrado. Ele é um exemplo de cidadão de bem, íntegro e ético”, elogia Neto, que devolveu o tíquete ao detentor.

Ao saber do gesto da dupla de garis, que naquele dia foram dispensados do trabalho pela empresa devido ao ato, a Fifa resolveu presenteá-los com dois ingressos para o empate de 1 a 1 entre Rússia e Argélia, que classificou a equipe africana para as oitavas de final. A notícia, entretanto, aconteceu momentos antes do duelo, em frente ao estádio.

“Eu não imaginava ganhar esse ingresso, estou muito emocionado. Só consigo me lembrar do meu filho, que é tudo pra mim”, exalta Valdir. “Era meu sonho de criança, ver um jogo de Copa do Mundo, nunca vou esquecer esse momento”, completa o realizado Nilton.

A atitude nobre dos garis emocionou a catarinense Edna de Oliveira. “Isso é bom para a imagem do país, é uma atitude linda, uma questão de honestidade acima de tudo”, parabeniza. Em um mundo em que gestos assim são tão raros, uma história de caráter como essa precisa ser valorizada.

Fonte: Terra

 

Compartilhar: