George Câmara se licencia e Cabo Jeoás assume CMN em março

Vereador do PCdoB pediu licenciamento para organizar atuação do partido na capital e possibilitar um novo ciclo de debates sobre a segurança pública.

George alegou que precisa da licença para tratar de interesses particulares. Foto:Divulgação
George alegou que precisa da licença para tratar de interesses particulares. Foto:Divulgação

Na tarde desta quarta-feira (5), o vereador George Câmara (PCdoB) anunciou que irá se licenciar do mandato durante o período de primeiro a 31 de março de 2014. Com a decisão, o próximo suplente da coligação, Cabo Jeoás (PCdoB), assumirá a vaga durante 31 dias. Obedecendo ao Regimento Interno da Câmara, George encaminhou ofício ao Presidente da Casa solicitando “licença para tratar de interesses particulares”. O procedimento está previsto no artigo 88, inciso IV, alínea “b” do Regimento Interno da CMN.

O vereador George Câmara, que também é o presidente do Comitê Municipal do PCdoB-Natal, declarou que o objetivo de sua licença é o de conceder ao também militante do PCdoB, Cabo Jeoás, a possibilidade de atuar no Parlamento natalense trazendo novos debates e ideias para o tema da segurança pública e contribuir com a categoria dos policiais militares.

Desta forma, George busca alcançar dois objetivos de uma vez só. Com a posse do Cabo Jeoás, construir e crescer o partido em outros segmentos/lutas sociais, organizando a militância do PCdoB e suas bases partidárias nas quatro zonas de Natal. “Nosso partido tem a prática de pensar no coletivo partidário, essencialmente no conjunto de militantes com o intuito de crescermos o PCdoB e democratizarmos nossa cidade. Para nós do PCdoB, é fundamental darmos oportunidade a novos atores sociais de levarem suas ideias ao Legislativo. Estou certo que Cabo Jeoás, ao assumir essa tarefa partidária, fará uma atuação notável em favor da nossa segurança pública, atendendo aos anseios da categoria na qual é representante”, declarou George.

SOBRE CABO JEOÁS (PCdoB)

Jeoás Nascimento dos Santos, 32 anos, começou sua formação política no movimento estudantil quando estudava Construção Civil na Escola Técnica Federal – ETFRN (atual IFRN), onde participou do Grêmio Estudantil. Cursou Letras na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) e atualmente se dedica ao curso de Direito na Universidade Potiguar (UNP).

Em 2000, o Cabo Jeoás entrou para os quadros da polícia militar e a partir de 2003 começou a atuar junto a Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Rio Grande do Norte na busca de cidadania, dignidade e melhores condições de trabalho e salários para os policiais e bombeiros do Rio Grande do Norte e de todo o Brasil.

Em 2006, o Cabo Jeoás assumiu a gestão da entidade, que passou, cada vez mais, a participar dos movimentos reivindicatórios, se tornando, com o passar dos anos, uma referência na luta e na representação dos policiais militares potiguares e brasileiros. Em 2007, Cb. Jeoás foi excluído da corporação de forma arbitrária e injusta por ser acusado de deserção e outros crimes militares, durante a paralisação da categoria daquele mesmo ano, só retornando aos quadros da Polícia Militar em 2009, por meio de decisão judicial. Mas mesmo excluído, no inicio de 2009, o Cabo Jeoás foi reconduzido ao cargo de presidente da entidade onde permaneceu até abril de 2012.

Cabo Jeoás foi também representante da Anaspra – Associação Nacional dos Praças, entidade na qual participou da criação e foi Diretor Regional Nordeste por quatro anos e onde, atualmente, está licenciado do cargo de vice-presidente. Pela participação nas negociações da última greve realizada na Bahia, o Cabo Jeoás permaneceu preso por 40 dias acusado de formação de quadrilha (por fazer parte da direção da ANASPRA) e por incitação (por fazer o chamamento e a conscientização da tropa). O Cabo Jeoás também foi Conselheiro Tutelar de Natal – Zona Leste.

Compartilhar: