Geraldão quer Robinson no Governo, Waltinho como vice e Fátima no Senado

Ex-presidente do PT no RN defende vice do PMDB e Wilma de Faria disputando mandato de federal

Deputado Estadual Walter Alves seria indicado pelo PMDB como vice de Robinson. Foto: Divulgação
Deputado Estadual Walter Alves seria indicado pelo PMDB como vice de Robinson. Foto: Divulgação

Alex Viana

Repórter de Política

Ex-presidente do Partido dos Trabalhadores, o contador Geraldo Pinto, um dos primeiros a defender publicamente a chapa Robinson Faria (PSD) para o governo, Fátima Bezerra (PT) para o Senado, propôs, nesta manhã, durante entrevista a 94 FM, que, diante da indefinição da legenda dos primos Henrique Alves e Garibaldi Filho, no tocante à escolha do candidato a governador, o PMDB indique o vice na chapa de Robinson – um nome a ser avaliado seria o do líder do PMDB na Assembleia Legislativa, deputado estadual Walter Alves. Geraldão, como é conhecido, também sugere a inclusão do PSB nesta aliança, legenda tradicionalmente alinhada com o campo progressista liderado desde 2002 pelo PT, com o partido do presidenciável Eduardo Campos indicando a vice-prefeita de Natal, ex-governadora do Rio Grande do Norte, Wilma de Faria, para concorrer à Câmara dos Deputados.

Geraldão afirmou a chapa seria aceita pelo presidente estadual do PSD e pré-candidato a governador, Robinson Faria. “Wilma de Faria pode ser deputada federal numa chapa. Por que não? O PMDB pode indicar o vice do Robinson. Por que não? Porque que a maioria, que é composta, é composta para que a gente vá apoiar. Para mim a melhor candidata, não porque é do meu partido, mas se fizer pesquisa, Fátima aparece em primeiro lugar”, disse, para justificar a Robinson e Fátima como cabeças de chapa. “Isso significa uma chapa de alinhamento com a presidente Dilma, uma chapa que não tem o vínculo com o DEM e com o PSDB, e significa outro rumo para o Estado, em relação aos últimos quatros anos”.

Geraldão defende a possibilidade de o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB), que vem sendo fortemente cogitado como nome do PMDB para disputar o governo do Estado, mantenha o projeto de tentar a reeleição para a presidência da Câmara Federal, porque isso será o melhor para o Rio Grande do Norte. “Já que o PMDB do Rio Grande do Norte quer a presidência da Câmara dos Deputados, e é justo que fique com a presidência da Câmara, seria ótimo para o RN ter três vias de trânsito com o governo federal. Um governador do PSD, uma senadora do PT, e um presidente da Câmara do PMDB. O governo do RN teria uma oportunidade de ouro”, disse Geraldão após a entrevista, em contato com O Jornal de Hoje. “Caberia ao PMDB dizer quem seria o candidato a vice-governador, compete ao partido definir, as alianças são partidárias. Mas o deputado Walter Alves é um bom nome, teria experiência administrativa, para, no futuro, se cacifar. Mas, quem decide melhor é o próprio PMDB”, completou.

Instado sobre a possibilidade de Henrique Eduardo ser reeleito presidente da Câmara, o ex-presidente do PT ressaltou “Henrique está colocado”. O petista acredita que política é a arte da reciprocidade, e o PSD poderá trabalhar nacionalmente em favor da reeleição do peemedebista. “Henrique está colocado, se nós tivermos aliança nacional, isso (possibilidade de reeleição dele) é concreto. Existe a possibilidade de reeleição, deve ser de interesse do PMDB nacional manter a presidência da Câmara. Então eu acredito que o deputado Henrique, que tem trânsito com o vice-presidente Michel Temer, dentro de uma discussão nacional não teria do meu ponto de vista nenhum problema”. “Provavelmente o próprio PSD, tendo um governador do PSD, pode trabalhar nacionalmente. Pela parte do PT é negociação, já que a bancada do PT no RN é pequena. Mas certamente é do interesse do PSD ter um governador do Estado. O que precisamos ver é o que é melhor para o RN. Nesse ponto de vista, se tivéssemos aqui a base de apoio da presidente Dilma Rousseff, nós teríamos uma conformação inédita para o Estado, o governador, a senadora e o presidente da Câmara. Isso nós nunca tivemos”.

 

PROGRAMA

Ao defender a chapa Robinson governo, Fátima Senado, Geraldão propõe uma “linha política programática”, de reformulação daquilo que acontece no RN há quatro anos, após a eleição da governadora Rosalba Ciarlini (DEM). “Nós estamos ofertando uma chapa que tem uma linha política programática, de apoio à presidente Dilma, de modificação daquilo que o RN teve nos últimos quatros anos. Essa é a proposta que encarna Robinson e Fátima. Não a proposta de fulano porque papai quis. Não a proposta de sicrano porque tem que ser. Não haverá ninguém ungido na política do RN. Lições no passado mostram para nós o resultado dos acordões – nós do PT, perdemos para Micarla, quando todo mundo se uniu num palanque o povo foi para o outro”, disse Geraldão, se mostrando “muito satisfeito” com os resultados da proposta de aliança entre PSD e PT. “Acho que Robinson e o PT precisam aumentar a liga. A ideia está consolidada no sentido de ideia. Vamos correr esse estado com a militância. Ontem a fala de Robinson foi muito bem vista dentro do PT”, disse Geraldão, ao se referir à participação do pré-candidato a governado do PSD na sessão solene em homenagem aos 34 anos do PT.

Geraldo ressalta, ainda, que, “do ponto de vista nacional, o PSD é fortemente aliado do PT, sendo o partido que dá mais sustentação ao governo de Dilma e sem pedir cargos”, o que, para ele, é uma questão importante. “Nesse momento, o PSD não ocupa nenhum ministério. Na reforma ministerial, não tem colocado exigências porque quer fazer essa aproximação. Portanto, acho que temos uma chapa colocada, vamos sentir o que o povo está dizendo, vamos correr o estado, incrementar ações até o final de março e colocar para os nossos aliados no plano nacional e aqui no estado”, frisou.

Por fim, o defensor do palanque de Dilma no RN rechaça qualquer iniciativa de aliança com o PMDB, se este trouxer juntos partidos como PPS, PSDB e DEM – ironicamente os que já confirmaram aliança com o PMDB no Estado. “Com DEM e PSDB nós não vamos de maneira alguma. Com o PSB, podemos ir com Wilma, se ela lançar a candidatura dela a deputada federal. Mas na majoritária, não nos aliaremos. Porque na majoritária temos a candidatura da deputada Fátima Bezerra. E vamos sentir essa aliança que estamos propondo com Robinson Faria. Nossa militância está muito contente”.

 

Robinson Faria: “No RN, a esperança vencerá aqueles que a subestimam”

O vice-governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, foi o único pré-candidato presidente de partido a prestigiar a sessão solene de aniversário de 34 anos do PT, ontem, na Assembleia Legislativa. Na oportunidade, Robinson fez um rápido discurso, de cerca de três minutos, no qual resgatou o tema da esperança contra o medo, que marcou o discurso de ascensão petista ao governo federal em 2002, através do ex-presidente Lula. “A esperança de Lula e Dilma venceu o medo no Brasil. No RN a esperança se veste de novo, para vencer aqueles que a subestimam”, afirmou Robinson, segundo relato de presentes.

Segundo o ex-presidente do PT, Geraldo Pinto o discurso de Robinson foi bem aceito pelos petistas potiguares. “Robinson colocou que está disposto a correr o estado todo com o PT, discutindo e debatendo os rumos do RN”, contou Geraldão. “Nós – PT e PSD – temos a junção das duas coisas, que eu acho que a base do PT está com esse sentimento. Primeiro, construir um forte palanque para a presidente Dilma. Segundo, a questão da oposição ao governo Rosalba. Isso faz com que a gente possa marchar dentro do que é a vontade do PT, sem excluir ninguém, mas uma coisa afirmativa em relação a isso”, disse.

Nesse contexto, PT e PSD agendarão para o próximo dia 22 uma reunião conjunta, bipartidária, com vistas ao aprofundamento das discussões. No encontro regional, haverá a presença tanto da militância do PT quanto do PSD, com o objetivo de discutir assuntos de interesse da região e a parceria entre as legendas na cidade de Mossoró, onde o prefeito Francisco José Júnior é do PSD e conta com uma aliança consolidada com o PT. Na reunião estarão presentes petistas e pessedistas de todos os municípios das regiões Oeste, Alto Oeste e Açu. Será o início do debate com a sociedade e a população.

Compartilhar:
    Publicidade