Gestores e trabalhadores da Saúde participam de curso sobre negociação coletiva

A programação da oficina conta com a discussão de temas como a Política de Saúde no Brasil

O treinamento vem sendo realizado em todos os estados, com o objetivo de formar 700 trabalhadores e gestores na área de negociação do trabalho. Foto:Divulgação
O treinamento vem sendo realizado em todos os estados, com o objetivo de formar 700 trabalhadores e gestores na área de negociação do trabalho. Foto:Divulgação

Com o objetivo de qualificar gestores e representantes dos trabalhadores da Saúde, o Ministério da Saúde iniciou, nesta segunda-feira (10), o Curso de Negociação Coletiva e Gestão do Trabalho na Saúde. Fruto de uma parceria entre o Ministério, a Organização Panamericana da Saúde (Opas) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o evento prossegue até sexta-feira (14), no Pontal Mar Praia Hotel, em Ponta Negra.

Com um total de 40 horas/aula e 28 participantes, o curso possibilita a formação da Mesa Estadual do RN, bem como da Mesa Municipal de Natal, que funcionarão como um espaço de negociação coletiva. Segundo a secretária-executiva da Mesa Nacional de Negociação Permanente do SUS, Eliana Pontes de Mendonça, “os benefícios virão não apenas para os servidores, mas sobretudo para toda a sociedade, na medida em que essas mesas poderão evitar muitas paralisações de trabalhadores”.

A programação da oficina conta com a discussão de temas como a Política de Saúde no Brasil; Políticas Públicas e participação social; a Constituição Federal de 1988 e seguridade social; princípios e diretrizes do SUS; o processo de negociação coletiva no setor público; o direito à sindicalização e de greve; e estratégias e táticas da negociação.

O treinamento vem sendo realizado em todos os estados, com o objetivo de formar 700 trabalhadores e gestores na área de negociação do trabalho. “Atualmente temos 54 mesas instaladas e outras em processo de instalação. A ideia é de que todas as mesas passem por essa formação, a fim de qualificar os negociadores”, explicou Eliana Pontes de Mendonça. O SUS conta hoje com aproximadamente quatro milhões de trabalhadores, sendo cerca de dois milhões no serviço direto à população.

Compartilhar: