Golf assume liderança da categoria dois meses depois do lançamento

Hatch médio da Volkswagen, importado da Alemanha, foi o mais vendido em novembro no Brasil

A estratégia da Volkswagen provavelmente visa ganhar tempo até que a versão nacional , prometida para 2015, fique pronta. Foto: Divulgação
A estratégia da Volkswagen provavelmente visa ganhar tempo até que a versão nacional , prometida para 2015, fique pronta. Foto: Divulgação

Em segundo plano há quase uma década, o Golf voltou a ser um dos carros mais vendidos do Brasil. E isso apenas dois meses depois do lançamento da sua nova geração. Em novembro, o modelo assumiu a liderança entre os chamados hatches médios, categoria logo acima da onde está o irmão Gol. Foram dois mil emplacamentos contra 1,7 mil unidades do Cruze hatch, atualmente o veículo mais vendido do segmento em 2013.

A liderança tão precoce mostra que o público do modelo aguardava com ansiedade por novidades. O Golf não muda de geração desde 1999 quando a versão IV chegou ao mercado – hoje o modelo está na versão VII, que trouxe alguns recursos inéditos nessa faixa de preço como motor turbo com injeção direta, controle de cruzeiro adaptativo e sistema start-stop, entre outros.

O que surpreende no resultado é que o Golf é importado da Alemanha, país que não tem nenhum acordo de isenção de impostos. Ou seja, o hatch paga os 35% de imposto de importação, além do frete marítimo e outras taxas. Mas é vendido por preço similar ao dos concorrentes locais.

A estratégia da Volkswagen provavelmente visa ganhar tempo até que a versão nacional , prometida para 2015, fique pronta. Até lá, o Golf virá da Europa e conviverá com seu irmão antigo, que ainda é produzido no Paraná e responde por 30% do volume de vendas.

 

Momento promissor

O primeiro lugar do Golf também teve a ‘colaboração’ da concorrência. Os dois modelos mais vendidos dos últimos anos, o Focus e o i30, trocaram de geração mas não recuperaram o terreno perdido durante a entressafra. O Ford, é verdade, começou a chegar às concessionárias no mês passado e deve ganhar volume nos próximos meses.

Já o Hyundai amarga um momento ruim no país. Embora tenha chegado com um visual atraente e bons equipamentos, o novo i30 pecou por oferecer apenas o motor 1.6 mais fraco que o 2.0 anterior. Para piorar, o preço pedido foi considerado abusivo – R$ 75 mil – e o carro encalhou. Agora, a marca coreana já baixou mais de R$ 12 mil do preço original, mas os tempos de vacas goras ainda não voltaram.

Em 2014, a situação deve mudar novamente, com o Focus na liderança por questões logísticas – é fabricado na Argentina. A posição natural do Golf é brigar pelo segundo lugar com o Cruze, que já perdeu o ar de novidade, apesar de ser feito no Brasil. Mas em 2015, a briga promete ser dura e com ligeira vantagem do carro da Volks.

 

Fonte: iG

Compartilhar: