Governo decide manter IPI de eletrodomésticos mais baixo em janeiro

O governo começou a recompor o IPI dos eletrodomésticos gradualmente em fevereiro deste ano

Desde o fim de 2011, os produtos que têm bom desempenho de gasto de energia estão com imposto mais baixo. Foto: Divulgação
Desde o fim de 2011, os produtos que têm bom desempenho de gasto de energia estão com imposto mais baixo. Foto: Divulgação

O Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) cobrado sobre eletrodomésticos da chamada linha branca (geladeira, máquina de lavar roupa e tanquinho) vai permanecer mais baixo em janeiro, segundo o Ministério da Fazenda.

Desde o fim de 2011, os produtos que têm bom desempenho de gasto de energia (selo de eficiência energética “A”) estão com imposto mais baixo.

O das geladeiras e das máquinas de lavar roupa está em 10%; no caso dos tanquinhos, a alíquota atual é de 5%.

O governo começou a recompor o IPI dos eletrodomésticos gradualmente em fevereiro deste ano.

A modificação mais recente foi feita em outubro, quando o imposto cobrado sobre o fogão (que também estava incluído na lista inicialmente) voltou ao patamar original de 4%, mas aquele cobrado sobre a geladeira, por exemplo, ficou em 10% (o original é 15%).

A expectativa era de que as alíquotas voltassem aos níveis originais em janeiro, mas o governo diz, agora, que não existe previsão para que isso aconteça.

O imposto permanecerá no patamar atual por tempo indeterminado.

A prorrogação atende ao desejo da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), que chegou a entregar um pedido formal ao governo há alguns dias.

O IPI cobrado sobre veículos, móveis e painéis também esteve mais baixo nos últimos anos, por conta de incentivos dados pelo governo. Nesses casos, as alíquotas voltam a subir gradualmente em janeiro.

Compartilhar: