Governo descarta aumentar mistura de etanol na gasolina e prevê redução nos preços

Produtores afirmaram que safra 2014/2015 de cana irá privilegiar mais a produção de etanol

bra_gasolina1_0_90_1605_1050

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta quarta-feira (23) que, neste momento, o governo não cogita elevar a mistura do etanol na gasolina, atualmente em 25%.

O ministro disse ainda que espera maior oferta de etanol nos próximos dois meses, o que ajudaria a derrubar os preços da gasolina na bomba.

— Estamos começando a safra do etanol. Entrar essa safra vai reduzir o preço do etanol e também dos combustíveis.

Apesar de negar, o ministro declarou que sempre é “possível” essa possibilidade (aumentar a quantidade de etanol).Mantega disse ainda que este momento de pressão na inflação é sazonal, “já previsto”, e que os indicadores serão menores em maio e junho.

O ministro disse ainda que, em 12 meses, a inflação pode até estourar o teto da meta — de 6,5% pelo IPCA (inflação oficial), com centro da meta em 4,5% —, mas fechará o ano dentro do objetivo.

Etanol será privilegiado

Hoje, a Unica (União da Indústria de Cana-de-açúcar) afirmou que a safra de 2014/2015 irá privilegiar mais a produção de etanol, impactando na produção de açúcar.

A produção de açúcar do Centro-Sul do Brasil cairá 5,2% na comparação com a safra passada, para 32,5 milhões de toneladas. Além do etanol, essa produção será afetada pelos problemas climáticos.

A moagem de cana do Centro-Sul vai recuar para 580 milhões de toneladas, ante um recorde de 596,9 milhões em 13/14, informou a entidade que representa as usinas na região e que responde por cerca de 90% da produção de cana do País.

Os dados sobre a produção de açúcar do maior produtor e exportador da commodity do mundo ampliaram a alta dos contratos futuros do produto em Nova York, que subiam mais de 2%, a cerca de 17,38 centavos de dólar por libra-peso, por volta das 11h30 (horário de Brasília).

Para operadores de Nova York, a primeira previsão de produção de açúcar da Unica para 14/15 veio no piso das estimativas do mercado.

A Unica apontou ainda que a produção de etanol terá leve alta, com volumes estimados em 25,9 bilhões de litros, ante 25,6 bilhões em 13/14.Em meio à quebra de safra de cana, esse pequeno aumento ocorre com as usinas elevando o percentual de matéria-prima destinada à produção de etanol para 56,4%, alta de 1,66 ponto percentual ante a safra passada — os 43,6% restantes serão destinados para a produção do açúcar.

Cotações recentes mais fracas do açúcar no mercado internacional e preços domésticos firmes do etanol induzirão as usinas a aumentar a produção do biocombustível na temporada, segundo a projeção da Unica.

O diretor-técnico da entidade, Antonio de Padua Rodrigues, disse hoje que não vê cenário de alta expressiva nos preços do açúcar ou de queda nas cotações domésticas do etanol durante 2014/15.

A moagem de cana da safra 14/15 começou oficialmente em abril, mas algumas empresas se anteciparam no processo.

Fonte: R7

Compartilhar: