Governo federal libera R$ 5 milhões para cidades atingidas por chuvas no ES

Os recursos são repassados por meio do Cartão de Pagamento de Defesa Civil, cuja adesão é providenciada pela prefeitura local

Moradores caminham por área alagada em Vila Velha, no dia 26 de dezembro. Foto: Divulgação
Chuva deixou toda a população desabrigada. Foto: Divulgação

O Ministério da Integração Nacional liberou R$ 5 milhões para ações de defesa civil no Espírito Santo, Estado castigado por temporais no fim do ano de 2013. A portaria com o repasse dos recursos está publicada na edição desta quarta-feira do Diário Oficial da União. Segundo o governo estadual, as tempestades – consideradas o evento natural mais devastador da história do Estado – afetaram mais de 60 mil pessoas, em pelo menos 54 dos 78 municípios, além de terem provocado 24 mortes.

O governador Renato Casagrande estará em Brasília na quinta-feira para apresentar o Plano de Reconstrução do Espírito Santo, criado para dar respostas emergenciais à destruição causada pelos temporais que castigaram o Estado em dezembro. Durante a reunião com representantes dos ministérios das Cidades, do Planejamento, da Integração Nacional e da Casa Civil, o governador solicitará a contribuição de, pelo menos, metade do valor orçado para as obras de ajuda aos municípios, que totaliza R$ 540 milhões.

Em portaria também publicada hoje no Diário Oficial da União, a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil reconhece situação de emergência em dez municípios do Espírito Santo em decorrência das enxurradas. Estão na lista Brejetuba, Governador Lindenberg, Itapemirim, Marataízes, Marechal Floriano, Marilândia, Mimoso do Sul, Presidente Kennedy, São Roque do Canaã e Sooretama.

O reconhecimento é necessário para que os municípios recebam ajuda federal com o objetivo de dar assistência às vítimas e executar ações emergenciais. Os recursos são repassados por meio do Cartão de Pagamento de Defesa Civil, cuja adesão é providenciada pela prefeitura local. O cartão foi criado em 2011 para garantir agilidade e transparência no repasse de recursos a cidades atingidas por desastres naturais.

 

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade