Governo não paga e PM fica com viatura bloqueada durante perseguição

Só existe uma viatura para policiar todo o município, que tem 27 distritos

Bandidos explodiram agência do Banco do Brasil de São Miguel do Gostoso, mas policiais ficaram sem viatura para capturá-los. Foto: Divulgação
Bandidos explodiram agência do Banco do Brasil de São Miguel do Gostoso, mas policiais ficaram sem viatura para capturá-los. Foto: Divulgação

Os policiais militares do Destacamento de São Miguel do Gostoso foram surpreendidos com o bloqueio da única viatura do município durante a perseguição à quadrilha que explodiu o Banco do Brasil da cidade, na madrugada de hoje. Segundo o comandante do policiamento local, subtenente José Edson, o fato quase provocou um acidente grave aos policiais que estavam em serviço e seguiam em alta velocidade no momento do fato. Ele disse ainda que, por causa disso, os bandidos conseguiram fugir.

“Só temos essa viatura para policiar todo o município, que tem 27 distritos e muitas estradas de barro e, de repente acontece uma coisa dessas, ainda mais durante uma perseguição em alta velocidade. Por sorte, o motorista conseguiu controlar o carro, mas poderia ter sido uma tragédia. Além disso, os criminosos conseguiram fugir porque não tínhamos condições de continuar a perseguição, já que ficamos sem viatura”, desabafou o subtenente Edson.

Ele disse também que, além do problema do bloqueio da única viatura do município, antes, os policiais sofriam com a questão do abastecimento do carro, uma caminhonete Ford Ranger. “Temos que abastecer no posto do Centro Administrativo de Natal e apenas 40 litros por dia, para policiar toda a região do município. Só que, muitas vezes, a viatura já chegava com pouquíssimo combustível e, pelo menos uma vez, ele acabou antes do carro chegar”, explicou.

Antes do bloqueio da viatura, feita via satélite pela empresa locadora do veículo, os policiais já tinham trocado os pneus do carro após os bandidos terem espalhado grampos metálicos na pista, para impedir uma perseguição. Os cerca de dez integrantes da quadrilha chegaram à cidade por volta das 2h da madrugada, em dois veículos e se dividiram em dois grupos. O primeiro se dirigiu para o Banco do Brasil, situado ao lado do hospital municipal e o outro cercou o prédio do Destacamento de Polícia local, para impedir uma reação.

“Os bandidos usaram dinamite para explodir os caixas eletrônicos do banco e também efetuaram disparos nas ruas da cidade, para intimidar a população e os próprios policiais militares que estavam de plantão. Depois da explosão, eles fugiram em direção à área rural, quando passaram a ser perseguidos pelos policiais, até a única viatura ser bloqueada pela empresa, via satélite”, explicou o subtenente Edson.

Durante a fuga, os criminosos ainda abandonaram um dos veículos usados na ação, um modelo Gol prata, de placas OJS-1905/RN em uma estrada carroçável. Mesmo com o auxílio dos militares do Grupo de Operações Táticas dos municípios de Touros e João Câmara, que continuaram as diligências em busca dos criminosos, nenhum deles foi detido até o final da manhã de hoje.

 

Quase 40 agências atacadas neste ano

Com a explosão dos caixas eletrônicos do Banco do Brasil de São Miguel do Gostoso, ocorrido durante a madrugada de hoje, já são 39 casos registrados somente este ano, sendo a 16ª ação em que os criminosos usaram explosivos para roubar o dinheiro, conforme dados da Polícia Militar do Rio Grande do Norte.

A última explosão aconteceu no último dia 12 de novembro, quando uma quadrilha composta por cerca de 20 homens invadiu a cidade de Apodi e atacaram a agência do Banco do Brasil. Na ocasião, houve troca de tiros entre os bandidos e os policiais militares e o soldado José Gurgel foi gravemente ferido por disparos de fuzil. Ele foi socorrido e está internado em recuperação, sem risco de morte. Até o momento, ninguém foi preso.

Compartilhar:
    • Carlos Andrade

      Inacreditável uma coisa dessa! Pura falta de respeito e competência deste governo.