A grosseria que choca

É notória a recorrência da deputada Fátima Bezerra ao vocabulário tosco. A migrante paraibana agride quem se posiciona no lado…

É notória a recorrência da deputada Fátima Bezerra ao vocabulário tosco. A migrante paraibana agride quem se posiciona no lado oposto de seu radicalismo.

>>>

Até políticos do Rio Grande do Norte, estado que lhe abrigou, têm sido vítimas de seus impropérios. Entre os que sofreram represálias, três governaram o estado: Wilma de Faria (PSB), Garibaldi Alves, filho (PMDB) e José Agripino (DEM). Coincidentemente, foram prefeitos de Natal. A petista Bezerra, apesar des tentativas, algumas com patrocínio plural jamais teve aprovação para administrar a capital potiguar. Talvez aí esteja a chave do ressentimento: o insucesso repetido dela em eleição majoritária.

>>>

Fátima bate agora, como quem se alimenta com sofreguidão, em Rosalba Ciarlini, a fraca governadora filiada ao Democratas. A mossoroense, embora colecionadora de vitórias, decepciona como administradora.  Mas, chamá-la de ‘caloteira’ (*), é uma incivilidade com o carimbo de vilipêndio.

>>>

(*) Segundo os dicionaristas, trata-se de uma pessoa que não paga suas contas pessoais, que usa recursos condenáveis para ganhar a vida, enganadora, malandra.

>>>

Na onda negativa
Resultado de pesquisa contratada pelo ‘Estadão’.
Duas perguntas foram feitas aos entrevistados:
1. 2014 será melhor que 2013?
2. 2014 será mais próspero economicamente que 2013?

>>>

À primeira, 57% responderam “sim”, contra 74% em 2012; à segunda, 48% concordaram. No exercício anterior, 60%.

>>>

Fato sem retoque
Jogo duro no Palácio do Planalto.
O PP será punido caso sua seção gaúcha apoie um dos desafiantes da recandidata Dilma Rousseff (foto).
A legenda perderá o Ministério das Cidades na mudança do primeiro escalão, em processo de definições. O paraibano Aguinaldo Ribeiro, o titular, deixa a pasta para consultar as urnas de outubro. Pretendia concorrer ao Executivo, mas a prudência recomenda-lhe a busca da tranquila reeleição à Câmara dos Deputados.

>>>

Candidata ao governo do Rio Grande do Sul, Ana Amélia Lemos, da bancada pepista no Senado, não tem diálogo com o PT regional.
Por causa dessa circunstância, o poder federal permite-lhe a neutralidade na campanha para presidente da República.
Jamais dividir o palanque com Aécio Neves (PSDB-MG) ou Eduardo Campos (PSB-PE).

>>>

Interessadíssimos no gabinete da Esplanada de forte influência eleitoral, PMDB e PT torcem para a crise evoluir.

 

– Marcus Vinicius Coelho pretende a toga do Supremo.  Presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, ele espera a primeira vaga na Corte. Possivelmente, a do ministro Celso de Mello.
– Já se diz no Maranhão que a governadora Roseana Sarney (PMDB) pode desistir da candidatura ao Senado. Ficaria no cargo para “conter a oposição”.
– Vice-presidente da Câmara, André Vargas (PT-PR) abre o jogo contra Eduardo Campos. Declaração do deputado: “O governador bateu descaradamente na presidente da República. Agora, está na hora de apanhar.”
– Na volta do Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça), Dilma Rousseff faz escala em Havana.
– Amanhã, o alto-comando do PMDB trata de suas prioridades na reforma ministerial. A convocação é de Michel Temer, presidente de honra da sigla e vice da senhora Rousseff.
– Continue atento às companhias de seu filho. O companheiro da balada pode ser um agente do tráfico de drogas.
– Dia 13 de março, no Rio de Janeiro, lançamento nacional do livro ’64 – o golpe que derrubou um presidente, acabou com a democracia e instaurou a ditadura no Brasil’. Autores: Angela Maria de Castro Ramos e Jorge Ferreira.
– Nesta sexta-feira, no Recife, reunião da cúpula nacional do PSB. Embora sem cargos na administração partidária, a velha guarda foi convidada.
– Para refletir: “A morte é o alvo de tudo que vive” (Sigmund Freud, médico austríaco).

Compartilhar: