Guardas usavam câmeras de monitoramento para “espiar” mulheres e casais

Doze guardas municipais de Araraquara, no interior de SP, vão ser afastados da função de monitoramento por câmeras após denúncias…

Câmeras eram usadas para filmar partes e cenas íntimas de mulheres e casais. Foto:Divulgação
Câmeras eram usadas para filmar partes e cenas íntimas de mulheres e casais. Foto:Divulgação

Doze guardas municipais de Araraquara, no interior de SP, vão ser afastados da função de monitoramento por câmeras após denúncias de que utilizavam o serviço para “espiar” mulheres em closes íntimos e casais namorando.

De acordo com a Folha de S. Paulo, a denúncia, feita pela vereadora Gabriela Palombo (PT) na Câmara classificava as imagens como “provas de um grande desvio de finalidade”. Gabriela recebeu o vídeo de uma pessoa com acesso à central de monitoramento da cidade.

Os vídeos mostram cenas captadas na principal rua de comércio de Araraquara, a Nove de Julho, em um horário de grande movimentação pelo local. No material, é possível perceber que a câmera deixa o plano aberto da câmera para focar no decote de uma mulher que transitava pela via. A filmagem acompanha a transeunte entrando e saindo da loja em vários ângulos que percorrem o corpo da moça.

Em outro vídeo, o atrativo do operador da câmera é um casal de jovens que namora em uma praça perto de duas faculdade de Araraquara. A câmera foca as pernas da garota, que está sentada no colo do rapaz. De acordo com a Folha, a prefeitura afirmou que “condena esse tipo de conduta” e que via abrir uma sindicância para apurar a responsabilidade dos servidores, caso seja comprovado que as imagens são da central de monitoramento.

Segundo a prefeitura, uma inspeção foi feita nesta quinta-feira (12) e nenhum material semelhante à denúncia foi encontrado. Os doze guardas serão incumbidos de outras tarefas até que a investigação seja concluída.

Ainda nesta quinta, o secretário de Segurança, Eli Schiavi, responsável pela guarda municipal, pediu afastamento do cargo, alegando motivo de saúde.

Fonte:FSP

Compartilhar: