Guns N’ Roses faz show para 22 mil e lembra Senna com Tema da Vitória

Banda liderada por Axl Rose fez show na Arena Anhembi e lembrou clássicos; guitarrista fez homenagem e tocou 'Tema da Vitória'

O Guns N' Roses, liderado pelo vocalista Axl Rose, se apresentou na noite desta sexta-feira (28) na Arena Anhembi, em São Paulo Foto: Alan Morici / Terra
O Guns N’ Roses, liderado pelo vocalista Axl Rose, se apresentou na noite desta sexta-feira (28) na Arena Anhembi, em São Paulo
Foto: Alan Morici / Terra

A hora estava marcada para 22h, mas todos sabiam que isso não seria cumprido. Em vez de Axl Rose e seu Guns N’ Roses, o palco do Anhembi ainda contava com a atração de abertura, a banda brasileira Plebe Rude no horário. No lugar da correria do início de shows, a sala de imprensa tinha jornalistas conversando e fotógrafos posando com os colegas para fotos. A plateia assistiu ao show da banda de Brasília e preencheu a próxima 1h30 de atraso lotando os bares e barracas de alimentação. E foi faltando meia hora para o fim da sexta-feira (28) que Axl Rose surgiu ao palco com seu Guns N’ Roses “recauchutado”. Na realidade, mesmo não tendo o mesmo apelo dos integrantes originais da banda, esta é a formação que mais veio ao País: com as visitas mais recentes em 2010 e 2011, esta última como atração do Rock in Rio.

Por volta das 23h30 as luzes se apagaram. Os gritos subiram enquanto tocava a introdução da banda com a música Far From Any Road, canção da banda The Handsome Family, trilha da série True Detective.

A primeira sequência de canções veio sem surpresa para quem acompanhou os shows anteriores da turnê: Chinese Democracy, Welcome to the Jungle, It’s So Easy e Mr. Brownstone. Axl Rose, questionado nos últimos tempos por sua falta de voz, encarou bem o início da apresentação. Em relação ao shows de 2010 e 2011, o vocalista mostrou seu timbre rasgado característico e fez suas danças que já viraram marca registrada.

Durou pouco.

Em Estranged, uma boa canção que merece lugar fixo no repertório da banda, mostrou sinais de fraqueza. Teve dificuldade para atingir todas as notas e suprimiu trechos para ter tempo de retomar o fôlego. Dali em diante, Axl mostrou que teve mais preocupação – ou ao menos estava mais empolgado – do que nas passagens anteriores. O vocalista apresentou alguns momentos bons, mas foi inconstante. Em todos os intervalos possíveis, seja nos solos de cada músico ou nas passagens instrumentais, o único remanescente da banda sai do palco e desaparece na penumbra do backstage. Quando não há tempo suficiente, vai até uma mesa localizada no palco, bebe algum líquido e maneja algum objeto que parece ser uma bombinha de asma.

Para os fãs da banda, tudo isso pouco importa perto do setlist cheio de sucessos dos anos 90. A banda também está mais afiada, com destaque para o virtuoso guitarrista Ron “Bumblefoot” Thal e DJ Ashba, cheio de pose e até com uma cartola que lembra Slash.

O repertório seguiu intercalando clássicos como Rocket Queen e You Could Be Mine com faixas do mais recente Chinese Democracy (2008): This I Love, Catcher in the Rye e Better.

Vamos aos sucessos

Na reta final da apresentação com 2h40 de duração, os sucessos são predominantes. O lendário riff de Sweet Child O’Mine foi recebido com gritos. A canção foi cantada em coro de ponta a ponta. Na sequência veio November Rain. Com Axl no piano, cada um dos três guitarristas fez um dos solos memoráveis de Slash. Fãs se acotovelavam na hora de fazer o air guitar e tocar como se estivessem no palco.

Antes de Don’t Cry, uma surpresa. No Rio de Janeiro, Bumblefoot tocou o hino nacional. Em São Paulo, a canção escolhida foi o Tema da Vitória, a conhecida “música do Senna”, que embalava as vitórias do piloto brasileiro tricampeão de Fórmula 1.

Para encerrar o bloco principal do show vieram Civil War, Knockin’ on Heaven’s Door e Nightrain.

O bis ganhou mais uma jam entre os músicos no palco antes do início de Patience, cujo assobio da introdução foi reproduzido por quase todos presentes. Celulares foram sacados e filmavam trechos da música. A despedida veio com Paradise City, acompanhada por alguns fogos de artificio.

A turnê agora parte para Curitiba (30), Florianópolis (1º/4) e Porto Alegre (3/4).

 

Confira o setlist:

 

Chinese Democracy

Welcome to the Jungle

It’s So Easy

Mr. Brownstone

Estranged

Better

Rocket Queen

Richard Fortus Guitar Solo

Live and Let Die (cover de Wings)

Holidays in the Sun (Sex Pistols -Tommy Stinson no vocal)

Dizzy Reed Piano Solo

Catcher in the Rye

You Could Be Mine

DJ Ashba Guitar Solo

Sweet Child O’ Mine

November Rain

Abnormal (Bumblefoot no vocal)

Tema da Vitória (Ayrton Senna)

Don’t Cry

Knockin’ on Heaven’s Door (cover de Bob Dylan)

Civil War

Nightrain

Patience

Paradise City

 

Fonte: Terra

Compartilhar: