Há 12 anos no Rio Grande do Norte, Proerd forma mais 10 mil alunos

Policiais capacitados vão as escolas passar orientações aos jovens alunos, com foco voltado no combate as drogas

10proe

Há 12 anos trabalhando para tirar crianças e adolescentes do mundo das drogas, o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) formará mais uma turma neste sábado (31). A partir das 16h, no Centro Administrativo, 10 mil crianças, na faixa etária de 9 a 12 anos, participarão da solenidade.

“O Proerd é um programa internacional, que está há 22 anos no Brasil e há 12 no RN. É um programa desenvolvido pela Polícia Militar em todos os Estados do Brasil, que faz parte da Secretaria Nacional de Segurança Pública. O Proerd trabalha na questão da prevenção das drogas, tanto nas escolas públicas quanto nas particulares”, explicou a tenente coronel da PM, Margarida Brandão, coordenadora estadual do projeto.

O maior foco do programa são crianças de 10 anos, que estão mais propensas a entrar no mundo das drogas. “A razão da nossa preocupação com as crianças de 10 anos é que elas estão entrando na adolescência. Quanto mais essas crianças estiverem informadas e preparadas, maior será a possibilidade delas se afastarem da questão das drogas e violência. Nessa idade, as crianças sofrem muita pressão de amigos, vêem muita coisa na televisão, elas são facilmente influenciadas”, afirmou Margarida.

Com a turma que irá se formar neste sábado, o Proerd já beira os 600 mil atendimentos. Somente em Natal, o programa atende quase 85% das escolas públicas e particulares. “A nossa expectativa é de que nos próximos anos o programa consiga atingir os 100% de atendimento em todo o Estado. O motivo pelo qual isso ainda não é possível é que não temos o efetivo suficiente para isso”, frisou Margarida, que explicou que não é qualquer policial que é selecionado para participar do Proerd.

“O programa funciona durante seis meses. Nesse período, os nossos policiais vão uma vez por semana nas escolas e ficam uma hora explicando sobre o assunto. O tema depende da realidade atual da cidade, de qual problema tem sido mais constante. O policial que faz parte do programa passa por todo um treinamento. Muitos deles são formados em algum curso acadêmico, em pedagogia. Também trabalhamos as temáticas com esse policial, que recebe instruções na questão educacional e social. Essa casadinha é muito importante na luta contra as drogas”.

Apesar de não escolher escolas específicas, os coordenadores do Proerd fazem um trabalho diferenciado em determinadas escolas. “Apesar de atendermos escolas públicas e particulares, fazemos uma seleção de acordo com a realidade da escola. Temos escolas que têm um histórico de violência e uso de drogas, então fazemos um trabalho especial em cima da realidade daquele local. Além disso, também temos outros programas nesses lugares, como a “Ronda Escolar” e “A Segurança Começa na Escola”, que junto com o Proerd tem conquistado um resultado muito interessante nesses locais”, comentou a tenente coronel.

Pais também são orientados

Além do trabalho feito com as crianças, o Proerd tem a preocupação de trazer os pais para participar das atividades. “No Proerd nós estamos sempre estudando e nos informando para buscar melhorar o nosso atendimento. Com isso identificamos a necessidade de trazer os pais para participar. Muitas vezes as crianças chegavam em casa e queriam conversar com os pais sobre o que viu no Proerd, mas os pais não sabiam conversar sobre o tema ou não queriam. Nós mostramos para esses pais a necessidade de se dialogar com os filhos sobre esses assuntos, pois muitas vezes o primeiro contato das crianças com drogas, álcool e violência acontece dentro de casa”, explicou Margarida Brandão.

Além de discutir sobre a temática com os filhos, os pais também são orientados a observar o comportamento das crianças na comunidade onde elas vivem. “O contexto social da comunidade onde essas crianças estão inseridas também é um fator que pode levar essas crianças para a criminalidade. Muitos jovens encontram uma situação na escola totalmente diferente da realidade da comunidade onde ela vive. Por isso os pais precisam ficar atentos ao comportamento dessas crianças”, frisou a tenente coronel.

Margarida ainda lembrou que programas para o desenvolvimento das crianças precisam ser prioridade nas políticas públicas do Governo. “Nos últimos quatro anos a gestão municipal deixou de fazer muitas coisas para os jovens. Muitos programas que existiam foram fechados por falta de investimento. Com isso os jovens ficam ociosos, sem ter o que fazer e acabam buscando outras situações, muitas vezes que incluem a criminalidade”. “Acho que enquanto a nação não entender a juventude como prioridade de atendimento, a situação do país não vai mudar. Hoje os nossos jovens são os que mais matam e os que mais morrem. O Governo tem que investir não só em educação, mas também em esportes”.

Copa do Mundo 2014 será tema do desfile

A formatura deste sábado terá toda uma programação especial. Os jovens farão um juramento no qual se comprometerão a permanecer longe das drogas e da violência, além de receberem um certificado de conclusão do programa. Antes disso os alunos farão um desfile no qual a Copa do Mundo será o tema principal.

“Os alunos irão homenagear a Copa do Mundo. Eles irão mostrar os títulos da seleção, homenagear a Copa em Natal. É um momento bem descontraído. Queremos que esses jovens se sintam bem depois dos seis meses de curso para que eles levem tudo o que aprenderam no curso para a sociedade”, comentou a coordenadora do Proerd. O evento também contará com apresentações musicais com a temática de prevenção em forma de paródias, além de estandes de exposição de órgãos e unidades da Segurança Pública do Estado.

Compartilhar: