Helicóptero com Fernandão caiu logo após decolar e partiu em dois

Segundo o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar, houve perda de sustentabilidade da aeronave, que caiu logo após a decolagem

16564006

A queda do helicóptero em que estava o ex-jogador do Inter Fernandão (Fernando Lúcio da Costa) ocorreu logo após a decolagem às margens do Rio Araguaia, interior de Goiás. O Corpo de Bombeiros de Aruanã, que resgatou Fernandão e mais quatro pessoas na madrugada deste sábado, confirma que a aeronave modelo Esquilo caiu cerca de 300 metros depois de decolar, em uma praia de água doce. Com o choque, o helicóptero se partiu em dois – a cabine e a cauda foram jogadas na areia. O acidente aconteceu por volta de 1h30min, e o resgate do ex-atleta ocorreu duas horas depois.

– Não dá para precisar ainda os motivos do acidente, mas é certo que houve perda de sustentabilidade do helicóptero, que desabou instantes depois de decolar. O tempo estava bom, não havia adversidades climáticas. Os destroços ficaram espalhados pela praia – relata o sargento dos Bombeiros Cristiano Oliveira, que foi ao local e retirou Fernandão dos destroços.

Oliveira informou que Fernandão estava inconsciente e tinha muitas dificuldades para respirar. Ele tentou reanimá-lo, mas diante da gravidade da situação, acabou encaminhando ao hospital da cidade o ex-jogador do Inter, que não resistiu. A aeronave não explodiu e os tripulantes tinham múltiplas fraturas quando foram localizados.

Conforme a Polícia Militar de Aruanã, havia pessoas acampadas nas proximidades, já que o local é turístico e procurado pelos moradores da região a partir de junho, quando o nível de água do Araguaia diminui.

Segundo os bombeiros de Aruanã, outras quatro pessoas estavam no helicóptero: o coronel da Polícia Militar Milton Ananias, Lindomar Mendes Vieira, Antônio de Pádua e Edmilson de Souza.

Um mito na história do Inter

Fernandão nasceu em Goiânia e foi revelado pelo Goiás. Mas foi no Inter que ele viveu suas maiores glórias, conquistando a Libertadores da América e o Mundial em 2006, como capitão da equipe de Abel Braga.

Foram quase cinco anos de identificação com a torcida e gols emblemáticos, como o da estreia, em 10 de julho de 2004, no Gre-Nal do gol 1.000, de sua autoria. Neste ano, Fernandão foi um dos mestres de cerimônia da reabertura do Beira-Rio, no dia 5 de abril. Anos antes, ele e o então goleiro Clemer comandaram a festa do Mundial, cantando junto com um Beira-Rio lotado.

Sua última equipe foi o São Paulo, em 2011. Fernandão jogou ainda no Olympique de Marselha e Toulouse, na França, e o Al-Gharafa, no Catar. Ele também treinou o Inter em 2012, e agora se preparava para comentar a Copa do Mundo pelo SporTV.

 

Fonte: RBS

 

Compartilhar:
    Publicidade