Helicóptero Potiguar I surge como nova atração para turistas do Estado

Fotos de banhistas no equipamento foram postadas em redes sociais

Veranistas teriam pedido para tirar fotografias durante ação da Polícia. Foto: Divulgação
Veranistas teriam pedido para tirar fotografias durante ação da Polícia. Foto: Divulgação

Alessandra Bernardo
Repórter

A divulgação de uma foto em que um homem aparece dentro do helicóptero Potiguar I e outras três pessoas, todas em trajes de banho, estão do lado de fora da aeronave, que pertence à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), gerou a abertura de um inquérito administrativo. O objetivo é apurar se houve alguma irregularidade no uso do equipamento, destinado a apoiar o policiamento no Rio Grande do Norte.

Ontem, o secretário Aldair da Rocha determinou que o comandante da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), tenente-coronel Edwin Brito, instaurasse um inquérito o quanto antes, para esclarecer a situação. O Potiguar I é o único helicóptero da Sesed e somente pode ser usado em ações policiais e de resgate.

Segundo o comandante da Ciopaer, a imagem que está circulando na internet foi feita com autorização e acompanhada pela tripulação da aeronave, que estava pousada na praia de Barra do Cunhaú, no litoral sul do Estado, durante a realização de pousos estratégicos para ações de policiamento na região, uma das mais procuradas pelos veranistas nesta época do ano.

Brito disse ainda que é natural que a presença da aeronave em solo atraia a atenção das pessoas, que quase sempre acabam pedindo para tirar fotografias e pedem informações sobre o funcionamento do equipamento. “Aonde pousamos, o helicóptero chama a atenção. É natural e até uma forma de aproximar a polícia da população. Tudo é feito com segurança e tenho total confiança na equipe. Isso acontece aqui e em todos os grupamentos do Brasil”, afirmou.

O que mais chama a atenção é que, na fotografia, só aparecem os quatro veranistas, sendo um deles sentado dentro da aeronave, que está parada em um campo aberto. O episódio trouxe ainda a lembrança do caso envolvendo os dois homens que foram flagrados, em novembro passado, dirigindo duas viaturas oficiais da Polícia Militar do estado, por ruas de Natal.

Na ocasião, o comandante geral da corporação, coronel Francisco Canindé de Araújo Silva, determinou a abertura de inquérito administrativo e criminal para apurar o uso indevido das viaturas, que pertencem ao Comando de Policiamento Metropolitano (CPM) e ao 1º Batalhão da PM, com sede na zona Leste de Natal. Ele disse ainda que os veículos estavam passando por serviços de manutenção em oficinas mecânicas que prestam serviços terceirizados ao Estado, na época em que os vídeos foram gravados.

Compartilhar:
    Publicidade