Henrique Alves comunicará a Fátima que Wilma será a candidata do PMDB ao Senado

Presidente do PMDB diz a líderes do PC do B que poderá ser o candidato de ampla coalizão a governador

Henrique Alves anunciará veto a Fátima Bezerra para chancelar Wilma como candidata ao Senado. Foto: Divulgação
Henrique Alves anunciará veto a Fátima Bezerra para chancelar Wilma como candidata ao Senado. Foto: Divulgação

Joaquim Pinheiro

Repórter de Política

O presidente do PMDB e líder do partido na Câmara Federal, deputado Henrique Eduardo, vai comunicar à deputada Fátima Bezerra, possivelmente na próxima quinta-feira, que o seu partido fará uma aliança política com o PSB nas eleições deste ano e que a vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria, comporá a chapa do PMDB na condição de candidata à senadora nas eleições deste ano. Disse também o líder partidário e atual presidente da Câmara Federal, que a decisão da aliança com Wilma de Faria é resultado de pesquisa feita junto a correligionários do PMDB, que num percentual acima de 80 por cento fizeram essa recomendação. A informação foi dada pelos integrantes do PC do B, Sérgio Alves, que é pré-candidato a deputado estadual e Antenor Roberto, atual presidente estadual da legenda, que participaram de uma reunião na tarde desta última sexta-feira, acompanhados dos deputados Fábio Dantas, candidato a reeleição, e do vereador licenciado, George Câmara.

No encontro com os comunistas, o deputado Henrique Eduardo, admitiu novamente que poderá ser o candidato do partido ao Governo do Estado, e que continua se reunindo com integrantes do PMDB para saber a opinião de cada um sobre o assunto. “Se o partido decidir, serei candidato”, teria dito o deputado aos líderes do PC do B. Na oportunidade, segundo ainda, os integrantes do PC do B, a chapa para as eleições deste ano já estaria praticamente formada, com o PMDB indicando o governador e o PSB apresentando o nome da vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria, para o Senado. Sobre o PT, Henrique Eduardo admitiu que será oferecida a vaga de vice-governador, e na hipótese do Partido dos Trabalhadores não aceitar, o cargo de vice irá para o PR do deputado João Maia, que poderia ser o candidato ou apresentar outro nome do partido.

DEFINIÇÃO DO PRAZO

Na reunião com os líderes, filiados e pré-candidatos do PC do B, Henrique Eduardo reafirmou que continua articulando a formação de uma aliança expressiva, envolvendo o maior número possível de partidos, podendo chegar a um total de 14 a 15 siglas. O senador Garibaldi Filho, presente ao encontro, mostrou-se interessado em ter o PC do B na aliança que está sendo formada como forma de fortalecimento da coligação com vistas ao pleito que se aproxima. Henrique Eduardo disse que até final de março será anunciada a chapa para disputar o Governo do Estado, logicamente antes sendo definido o nome do PMDB que será o candidato a governador do Estado.

Coligação do PC do B espera eleger 3 deputados estaduais

O pré-candidato a deputado estadual pelo PC do B, Sérgio Alves, que foi o articulador do encontro dos dirigentes do partido com o deputado Henrique Eduardo e com o senador Garibaldi Filho, avalia que a coligação proporcional que estão sendo feita, envolvendo partidos como PC do B, PHS, PT do B e PT, poderá eleger no mínimo 3 deputados estaduais nas eleições de outubro. Com relação à chapa majoritária, Sérgio Alves lembra que ainda não existe definição de nomes, mas o PC do B propõe-se a conversar com todos os postulantes para decidir. Ele admite, entretanto, que existe a possibilidade do Partido Comunista do Brasil apoiar o candidato do PMDB ao Governo do Estado.

O presidente estadual do PC do B, Antenor Roberto, disse que o partido já conversou com representantes de outras legendas para saber quais são as convergências, prioritariamente entre partidos da base aliada do governo, objetivando a efetivação de futuras alianças. “As conversações continuarão para que o PC do B chegue a uma conclusão sobre a chapa majoritária que apoiará”, disse Antenor Roberto. Segundo Sérgio Alves, concretizado o apoio a um chapa majoritária, o PC do B pretende apresentar sugestões para elaboração de um plano de governo, sugerindo ações eficazes para ajudar o Rio Grande do Norte a sair da situação de dificuldades em que se encontra.

NOMINATA

O PC do B, ainda segundo Sérgio Alves, fará uma nominata significativa com nome de lideranças da capital e do interior do Estado com uma média entre 20 a 25 candidatos resultado de uma coligação entre vários partidos. Segundo ele, o objetivo é eleger 2 ou 3 deputados estaduais. “O coeficiente para eleger o primeiro é em torno de 70 mil votos, o segundo, 130 e o terceiro, 200 mil votos”, avalia Sérgio Alves. Entre os nomes com mais potencial eleitoral estão o deputado Fábio Dantas (candidato à reeleição), vereador de Natal, George Câmara, Theodorico Neto e o próprio Sérgio Alves, que deverá ser bem votado na capital e em vários outros municípios do Estado (JP)

Compartilhar:
    Publicidade