Henrique defende política tributária unificada para toda região Nordeste

O candidato cobra a união dos estados nordestinos em prol de uma maior fatia no bolo tributário nacional

Candidato do PMDB, Henrique Alves, conversou demoradamente com servidores do Fisco e expôs suas posições sobre tributação. Foto:Divulgação
Candidato do PMDB, Henrique Alves, conversou demoradamente com servidores do Fisco e expôs suas posições sobre tributação. Foto:Divulgação

O candidato do PMDB ao Governo do Estado, Henrique Alves, defende uma política pública tributária para o Rio Grande do Norte e a união dos estados nordestinos como formas de otimizar a arrecadação. “Proponho uma política pública tributária para o Rio Grande do Norte. Espero, para isso, ter a grande contribuição de qualidade dos senhores auditores”, afirma Henrique.

O candidato cita seu histórico de vida pública na Câmara dos Deputados, da qual é presidente, para tratar da atual situação financeira do Estado e destaca a importância do trabalho dos auditores fiscais para a manutenção e custeio da máquina pública.

“O imenso aprendizado que eu tive na Câmara dos Deputados, sete anos como lidero do PMDB e agora como presidente, me dá uma responsabilidade enorme de estar aqui me defrontando com uma das mais qualificadas categorias do Estado. Vocês são um exemplo. Espero, como governador, manter essa relação de respeito”, disse.

Henrique confirma que, eleito, manterá a política de utilizar exclusivamente o critério técnico para a indicação de um servidor de carreira para o cargo secretário estadual de Tributação e seu adjunto. “Vamos manter o que vem dando certo. Isso não é favor nenhum”, garantiu, acrescentando que, além disso, vai buscar parcerias federais para incrementar com recursos tecnológicos a estrutura de arrecadação do RN.

O candidato cobra a união dos estados nordestinos em prol de uma maior fatia no bolo tributário nacional. “Não há hoje uma política de desenvolvimento regional. Temos que fazer um pacto entre os estados do Nordeste, uma região grande e com força para fazer pressão. Queremos nosso quinhão. Vamos nos unir e mostrar que impomos respeito”, justifica.

Segundo Henrique, seu governo será norteado por três diretrizes: transparência, descentralização e planejamento. Acrescentou que a situação do Estado é delicada e adotou o diálogo como bandeira para recuperar o RN. “Como sou do legislativo, sei da importância do diálogo. A cada dois meses, irei à Assembleia Legislativa sem que ela precise me convocar. O Estado está quase ingovernável. E só há um caminho para tratar a governabilidade: a união de esforços. Vamos chamar todos os poderes à mesa”, diz Henrique Alves.

Compartilhar:
    Publicidade