Henrique: “Estou pronto para aceitar o desafio de ser candidato a governador”

Henrique Alves fala pela primeira vez como candidato ao Governo do Estado ao receber apoio do PRB

henrique

Pouco importou o empresário Fernando Bezerra passar o carnaval estudando as contas do Estado para encontrar um jeito de resolver a crise pela qual atravessa o Rio Grande do Norte. Ele não deverá ser o candidato do PMDB ao Governo do Estado. Isso porque o presidente da Câmara Federal (e do partido no Estado), Henrique Eduardo Alves, quer ser candidato. Nesta sexta-feira, Henrique, finalmente, se disse pronto para a disputa e que aceita o desafio de ser o nome da sigla ao Executivo.

“Estou pronto para aceitar o desafio de ser candidato a governador”, afirmou Henrique Alves, ofuscando o evento do PRB, no hotel Praia Mar, que tinha o objetivo de antecipar o apoio do partido à candidatura do PMDB, fazendo da sigla mais uma a integrar o “blocão” que se forma na chapa peemedebista.

E não foi só. Falando, realmente, como candidato, Henrique também se disse “pronto para a missão” de governar o Estado. “Se assim o povo desejar, se assim vocês entenderem, esta é a hora. E se eu chegar a ser governador espero que minha cadeira seja ocupada por você, Abraão Lincoln, em Brasília”, declarou Henrique, retribuindo o apoio recebido ao presidente estadual do PRB, Abraão Lincoln, e antecipando o apoio à candidatura dele a deputado federal.

Participaram do evento, também, o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, e o atual ministro da Pesca, Eduardo Lopes. “O PRB tem um planejamento para crescer em representação, colaborar com projetos e muito trabalho. E quero anunciar que estaremos unidos com o PMDB e com o deputado Henrique Eduardo Alves lutando por um Rio Grande do Norte mais próspero”, declarou Abraão.

Apesar de esse ser o primeiro partido a oficializar o apoio a candidatura do PMDB ao Governo, é bem verdade que outras siglas já disseram que “deverão” estar no palanque de Henrique. PROS, PV, PSDB, DEM, PDT, PMN, PTB e PSB estão na lista e, agora com esse anúncio do presidente da Câmara Federal, deverão antecipar também a confirmação do apoio.

AJUDA NA FILIAÇÃO

É importante ressaltar que não é por acaso que o PRB está antecipando o apoio ao candidato do PMDB. O presidente da sigla no RN, Abraão Lincoln deve a Henrique e ao ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho. Tanto que o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, fez questão de destacar isso no discurso dele.

“Ao assumir o PRB no RN, Abraão já me contava da sua lealdade a Garibaldi e Henrique. Isso já era esperado. Abraão tem toda a autonomia para decidir o melhor para o RN e para o PRB. E saiba, Abraão, que o que eu puder fazer para que essa aliança com o PMDB resulte vitoriosa e sua eleição para deputado federal também, você saiba que conta comigo”, declarou Marcos Pereira.

O PRB, claro, não foi o único partido nessa situação de “dívida” com Henrique. O presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Motta, e todos os demais deputados que estão hoje no PROS terão condição de disputar as eleições 2014, justamente, graças a intervenção de Henrique em Brasília. Foi o presidente da Câmara Federal que viabilizou a ida deles para a nova sigla, após o deputado federal Betinho Rosado acabar com os planos dele de gerir o PP (uma semana antes do limite de filiação para os que tentariam a eleição neste ano). SONHO DE GOVERNADOR

É importante lembrar que ser governador do Rio Grande do Norte é um sonho antigo do presidente da Câmara Federal, Henrique Eduardo Alves. Alias, não só dele: ver o líder peemedebista no Governo era o sonho também do ex-governador Aluisio Alves, pai dele. Apesar disso, Henrique nunca disputou uma eleição majoritária ao Governo.

Henrique só tentou duas vezes ocupar o Executivo, mas disputando a Prefeitura de Natal. Perdeu as duas vezes. Uma para a pessebista Wilma de Faria (que deve compor neste ano a chapa com ele, sendo candidata ao Senado), em 1988, e outra para Aldo Tinoco, em 1992. Contudo, as derrotas não lhe valeram o mandato, uma vez que quando disputou ele já estava na condição de deputado federal – acumula hoje 11 mandatos nessa condição.

Por isso, destaca-se que essa será a primeira vez que Henrique Alves disputará o Executivo com possibilidade de, se perder, ficar sem mandato. Isso, justamente, quando chegou ao cargo mais alto que já ocupou: o de presidente da Câmara Federal, tendo chegado até a sentar na cadeira da Presidência da República de forma interina em viagens da presidente Dilma Rousseff (PT) e do vice-presidente Michel Temer (PMDB).

Inclusive, há quem ressalte que essa “mudança de planos” de Henrique está relacionada à relação com a presidente Dilma. Afinal, nas últimas semanas, PT e PMDB entraram numa crise que dificultaria a reeleição dele na presidência da Câmara Federal. Por isso, Henrique teria decidido se voltar para a disputa ao Governo.

De qualquer forma, o fato é que, ao se lançar candidato ao Governo, Henrique tira da disputa o empresário Fernando Bezerra, que estava afastado há vários anos da política, mas que voltou ao cenário, justamente, por insistência do presidente peemedebista no RN. O nome dele foi defendido como “o melhor”, o “mais experiente” e “mais preparado”, com “perfil de gestor” e “não só de político”.

Mesmo o fato de Fernando Bezerra não ter dado entrevistas ou participado de eventos do PMDB durante o período em que foi pré-candidato, ele continuou sendo colocado como tal, inclusive, pelo próprio Henrique. Afinal, no início do mês, quando a chapa Henrique já era dado como certo na chapa, a mulher do presidente da Câmara, a jornalista Laurita Arruda, publicou em seu blog que Fernando Bezerra tinha passado o carnaval “estudando” as contas do Governo e tinha a solução para o RN. Estudou, estudou e, ao que parece, não fará a prova.

Deputado Walter Alves deverá ficar com bases de Henrique na disputa pela Câmara Federal

O PMDB inteiro parece que estava apenas esperando o anúncio de Henrique Eduardo Alves para definir seu futuro nas eleições do Rio Grande do Norte. Uma prova disso foi o anúncio que se seguiu ao de Henrique Eduardo Alves: o deputado estadual Walter Alves já busca apoios para a disputa eleitoral por uma vaga na Câmara Federal.

Isso porque o filho do ministro Garibaldi Alves deverá ser lançado pelo partido como a opção para ocupar a vaga de Henrique na Câmara. Nesta semana, ele já teve várias reuniões com as bases eleitorais que, geralmente, apóiam a candidatura de Henrique a deputado federal, uma vez que, internamente, já era dada como certa a ida do presidente do PMDB no RN a disputa pelo Executivo.

Depois que Henrique falou como candidato, porém, Walter Alves ficou livre para, também, falar como candidato a deputado federal. E sua assessoria de imprensa enviou a nota confirmando que a prefeita de Patu, Evilásia Gildênia, do PSB, o apoiaria a candidato a deputado federal.

Mais importante do que o anúncio, a divulgação tem como objetivo informar as bases de Henrique que o candidato, agora, é Walter Alves. Isso evitaria que outros nomes do PMDB, como a da ex-prefeita de Mossoró, Fafá Rosado, e o deputado estadual Nélter Queiroz, ou mesmo outros potenciais candidatos a parlamentar federal por outros partidos se aproveitassem do “vácuo eleitoral” e negociassem o apoio das bases de Henrique a eles.

Com dois mandatos na Assembleia Legislativa e eleito algumas vezes como o parlamentar do ano, Walter Alves chegou a ser cotado, até mesmo, para o Governo do Estado. Contudo, sempre afirmou que preferiria disputar a reeleição na AL.

Compartilhar:
    • Nilson Moura messias

      Quem será o Aldo Tinoco, desta vez?