HMWG desenvolve software que gerencia atendimentos em tempo real

Outra vantagem do kanban é a visualização de gráficos que se atualizam, a cada cinco segundos, e mostram a taxa de ocupação nos setores assistenciais

10376843_1490299771205620_8193269237881993367_n

Continuando a incrementar seu parque tecnológico, o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG), desde novembro passado, vem aperfeiçoando a utilização do software Kanban, desenvolvido pela Divisão de Informática do Hospital. O programa, que ainda passa por pequenas modificações, já se tornou um instrumento essencial para o gerenciamento, em tempo real, das demandas diárias de internações, altas e pacientes atendidos, por exemplo.

Acessível por todos os setores assistenciais do hospital, o programa tem garantido também identificar os bairros e cidades de origem dos pacientes que dão entrada no Pronto Socorro Clóvis Sarinho (PSCS), além de identificar a demanda diária de cada especialidade.

A diretora geral do HMWG, Maria de Fátima Pereira Pinheiro, aponta o Kanban como uma ferramenta essencial para a gerência do hospital. “O primeiro modelo que utilizamos foi o proposto pelo Ministério da Saúde (MS), após a adesão do Walfredo Gurgel ao Programa SOS Emergências. A partir daí, nossa Divisão de Informática começou a melhorar essa ferramenta e adequá-la de acordo com nossas necessidades. Hoje é um instrumento essencial para enxergarmos o hospital e suas necessidades”, explicou.

Um dos desenvolvedores do kanban eletrônico, o consultor em tecnologia da informação, Lucas Gurgel, explica que apesar de já estar em uso, o software sempre estará em constante processo de melhorias. “O Walfredo Gurgel é um hospital imenso e as necessidades mudam de tempos em tempos. A prova disso é que atualmente temos uma lista de pedidos para monitorar dados de interesse do hospital e que, gradativamente, serão devidamente implantados”. O consultor ainda diz que, levando em consideração essa perspectiva, o programa estará sempre em uso, porém, nunca realmente finalizado.

Armazenado por meio da tecnologia em nuvem, no datacenter do próprio hospital, o sistema ainda pode ser acessado a partir de celulares, tablets ou de qualquer computador conectado à internet. Essa facilidade permite que os gestores visualizem a situação do hospital, mesmo quando, por algum motivo, não puderem estar presentes na unidade.

Outra vantagem do kanban é a visualização de gráficos que se atualizam, a cada cinco segundos, e mostram a taxa de ocupação nos setores assistenciais como Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), o número de internações por especialidade e o número de pacientes em cada setor, através de um sistema de cores (verde, amarelo e vermelho) que alerta para o tempo de permanência do paciente.

”Dessa forma podemos identificar com mais agilidade o porquê de um paciente estar há três dias internado no hospital, ou se ele está esperando por algum exame fora do Walfredo, e tentar resolver com maior rapidez esse problema. Com isso, conseguimos melhorar a assistência ao paciente e aumentar a rotatividade dos leitos, refletindo inclusive na diminuição do número de pacientes no corredor”, afirma Fátima

Compartilhar: