Holanda supera calor, vira em seis minutos e elimina México no Castelão

Com direito a paradas técnicas por conta da temperatura, atuais vice-campeões largam a retranca no 2º tempo e chegam às quartas. Mexicanos caem nas oitavas pela sexta vez seguida

Sneijder comemora gol de empate da Holanda. Foto: Divulgação
Sneijder comemora gol de empate da Holanda. Foto: Divulgação

Quem mais fez a Holanda suar neste domingo: a temperatura de 30 graus no início de tarde em Fortaleza ou o México do carismático Miguel Herrera? Acossada por esses dois fatores no Castelão, a atual vice-campeã mundial quase se despediu da Copa no Brasil, mas superou o clima quente e, em seis minutos, virou para cima dos latino-americanos: 2 a 1, em um dos jogos mais emocionantes do torneio, se garantindo nas quartas de final.

O gol de Giovani dos Santos, logo no início do segundo tempo, e as defesas do goleiro Ochoa estavam fazendo os mexicanos igualarem suas melhores campanhas em Copas. A Holanda, porém, largou a retranca que o técnico Louis Van Gaal promoveu na primeira etapa, fez valer a qualidade individual de seus jogadores e, com Sneijder e Huntelaar batendo pênalti, aguarda o vencedor entre Costa Rica e Grécia, que jogam ainda neste domingo, para disputar uma vaga nas semifinais.

Já o México, que tentava igualar sua melhor campanha em Copas, amarga a sexta eliminação seguida na competição.

Caliente

O Castelão parecia uma panela de pressão neste domingo, pela torcida mexicana, em maioria, que apoiava o time e fazia ecoar alto o tradicional grito de “Puto!” quando o goleiro adversário cobra tiros de meta, e pelo calor das 13h em Fortaleza, com temperatura de 30 graus e pouca ventilação.

Para fugir do sol a pino, muitos torcedores abandonaram seus assentos nas arquibancadas inferiores centrais e atrás do gol defendido pelo mexicano Ochoa no primeiro tempo e assistiram à partida em pé nos corredores, onde fazia sombra. Em campo, os holandeses pareciam mais abalados pela temperatura, tanto que o árbitro Pedro Proença promoveu uma parada técnica aos 31 minutos para que a hidratação dos atletas.

Faltou pimenta

Mais acostumados ao calor, os mexicanos construíram as melhores chances do primeiro tempo. A defesa dava pouco espaço a Robben e Van Persie, e o setor ofensivo deu motivo a mais para os holandeses suarem. Pelo lado esquerdo, o lateral Layun deu um baile em Verhaegh e criou três chances, duas em chutes de média distância e outra cruzando à meia altura, mas Giovani dos Santos não conseguiu alcançar.

O técnico Louis Van Gaal repetiu a formação com cinco defensores utilizada (e criticada pela imprensa holandesa) contra o Chile, com o atacante Kuyt na lateral esquerda, mas logo ele precisou mexer nas peças pois De Jong saiu lesionado aos seis minutos. Martins Indi foi a campo e formou o trio de zaga com Vlaar e De Vrij, deslocando Blind para o meio de campo.

Mas a Holanda concedeu muitos espaços e aos poucos o México foi equilibrando a posse de bola. Na melhor chance dos sul-americanos, Giovani dos Santos recebeu lançamento dentro da área e tocou para Peralta, que fez o pivô e ajeitou para Hector Herrera mandar para fora.

Os holandeses deram o primeiro chute a gol aos 26 minutos, com Van Persie, e ainda tiveram um pênalti não marcado em Robben, aos 45, em que foi alvejado por Rafa Marquez e Moreno (que se lesionou no lance) dentro da área.

Arriba!

Com Cillessen mostrando certa insegurança desde o início, faltava ao México agredir mais a meta holandesa, mas aos dois minutos da etapa final, Giovani dos Santos chutou de fora da área, entre dois marcadores, e o goleiro, um pouco atrasado no lance, viu a bola ir para o fundo da rede.

Atrás do placar, Van Gaal largou a retranca de lado. Tirou Verhaegh para a entrada do atacante Depay, dois gols marcados nesta Copa. O empate quase saiu aos 12, mas brilhou a estrela de Ochoa. O goleiro, grande responsável por segurar o empate em 0 a 0 com a seleção brasileira na fase de grupos, defendeu no susto um chute à queima-roupa de De Vrij após cobrança de escanteio. A bola ainda bateu na trave direita.

Olha quem apareceu

Ochoa ainda brilharia mais uma vez, após bela jogada individual de Robben, que deixou Rafa Marquez no chão e arrematou em cima do goleiro mexicano. Após nova parada técnica por conta do calor, a Holanda soltou-se no ataque e apostou nos cruzamentos para a área. O México buscava raros contra-ataques para gastar o tempo e confirmar a classificação às quartas de final, mas acovardou-se demais.

Como diz o ditado, a bola pune, e aos 42 minutos, Sneijder bateu sem chances para Ochoa. Nos acréscimos, Robben foi derrubado na área e Huntelaar, que deu assistência para o gol de empate, virou.

FICHA TÉCNICA – HOLANDA 2 X 1 MÉXICO
Local:
 Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
Data: 29 de junho de 2014, domingo
Horário: 13 horas (de Brasília)
Árbitro: Pedro Proença (POR). Assistentes: Bertino Miranda (POR) e José Trigo (POR)
Cartões Amarelos: Aguilar, Guardado e Rafa Marquez (México)

Gols: Giovani dos Santos, aos 2 minutos do segundo tempo, Sneijder aos 42 do segundo tempo, Huntelaar (de pênalti) aos 48 do segundo tempo

HOLANDA: Cillessen, Verhaegh (Depay), Vlaar, De Vrij e Blind; De Jong (Martins Indi), Wijnaldum, Kuyt e Sneijder; Robben e Van Persie (Huntelaar)
Técnico: Louis Van Gaal

MÉXICO: Ochoa, Aguilar, Maza Rodriguez, Rafa Marquez, Moreno (Reyes) e Layun; Salcido, Hector Herrera e Guardado; Giovani dos Santos (Aquino) e Peralta (Chicharito Hernandez)
Técnico: Miguel Herrera

Fonte: IG

Compartilhar:
    Publicidade