Homem aparece vivo no próprio velório e diz: “Esse do caixão não sou eu”

Quando João chegou ao próprio velório, a notícia do cadáver desconhecido já havia se espalhado pelo bairro e uma multidão já se reunia em frente ao local do velório

João Marcos apareceu no próprio velório para falar que estava vivo. Foto:Divulgação
João Marcos apareceu no próprio velório para falar que estava vivo. Foto:Divulgação

Um caso curioso chamou a atenção dos moradores do bairro Campinho, em Vitória da Conquista, na Bahia. Familiares velaram o corpo de um desconhecido achando que se tratava de João Marcos Ribeiro, 60 anos, que estava desaparecido há uma semana. A confusão só terminou quando o próprio João Marcos apareceu no velório, comprovando que ele ainda estava vivo. “Esse aí no caixão não sou eu não”, disse o homem.

Segundo o filho de João, Gilberto Ribeiro, 35 anos, a confusão começou quando boatos de que seu pai teria morrido em um acidente chegaram até o bairro. “Me falaram que o meu pai tinha morrido em um acidente. Eu fiquei muito triste e fui até o Instituto Médico Legal, mas, chegando lá, não deixaram a gente entrar para ver o cadáver. Esse foi o grande problema”, disse.

De acordo com Gilberto, o acidente ocorreu na sexta e o corpo ficou até a manhã de sábado no IML. “Do IML, o cadáver foi direto para a funerária, que preparou o corpo e levou para a casa da minha mãe, por volta de meio-dia. Chegando lá, algumas pessoas começaram a estranhar a aparência do corpo”, completou o filho de João.

Segundo Gilberto, o cadáver era mais velho e tinha a pele mais escura. Além disso, o filho não encontrou uma mancha que seu pai tem no rosto, o que o intrigou ainda mais. “O corpo chegou, mas sabe como é, já tinha passado muito tempo da morte e fica um pouco diferente. Mas com o passar do tempo, fomos percebendo que não era  o meu pai”, disse.

Quando concluíram que o cadáver não era de João, familiares saíram à procura do pai por toda a cidade. “Nós procuramos ele em vários lugares, mas só fomos encontrar  no Centro de Recuperação, para onde ele costumava ir por causa da bebida. Meu irmão, então, trouxe ele de volta para casa”.

Quando João chegou ao próprio velório, a notícia do cadáver desconhecido já havia se espalhado pelo bairro e uma multidão já se reunia em frente ao local do velório. Até uma viatura da Polícia Militar foi acionada para acompanhar a movimentação no local.

Segundo parentes, em um primeiro momento João Marcos ficou nervoso com tanta movimentação, mas em seguida até achou graça. Para a família, sobrou a sensação de alívio. “Eu fiquei muito triste quando me falaram que o meu pai tinha morrido, mas agora que estou vendo ele aqui, vivo, me sinto aliviado. É algo que não é muito comum de acontecer”, falou Gilberto.

Após o retorno de João, o IML foi chamado e o corpo foi levado. Não há informações sobre a identidade do homem que morreu no acidente.

Questionado se iria entrar com alguma ação judicial contra o IML, o filho de João disse que não havia pensado nisso. A reportagem entrou em contato com o Instituto Médico Legal da cidade, mas o IML não se pronunciou sobre o ocorrido.

Fonte:Terra

Compartilhar: