Homem arranca pênis de catador, frita o coração dele e come

Crime ocorreu no Litoral Norte do RS e teria sido motivado por vingança

João Tressold, 60 anos, foi morto com oito facadas. Foto:Divulgação
João Tressold, 60 anos, foi morto com oito facadas. Foto:Divulgação

Com requintes de crueldade, um crime abalou a pequena praia de Quintão, no Litoral Norte gaúcho. João Tressoldi, de 60 anos, foi encontrado morto dentro de uma casa, na Rua Uruguaiana, no centro do balneário, na manhã da quinta-feira. Morto a facadas, o catador teve o órgão genital cortado e o coração arrancado. O corpo foi achado por volta das 8h30min da quinta-feira passada. Érico Hermes Luis, de 38 anos, confessou o homicídio após ser preso ao tentar fugir em direção a Mostardas, ao lado de Palmares do Sul.

“Ele estava de bicicleta com a companheira e deu detalhes do crime. Na delegacia, falou que havia arrancado o pênis da vítima e comido frito” – afirma o delegado Gustavo Brentano, titular da 1ª Delegacia de Osório.

Conforme depoimento do acusado e de sua companheira, a motivação para o assassinato foi vingaça. Luís contou que os três estavam assistindo uma partida de futebol na Tv e bebendo. Quando as bebidas acabaram, Luís teria saído para buscar mais. Nesse intervalo de tempo, Tressoli teria tentado abusar sexualmente da mulher. Quando voltou, Luís afirma ter flagrado a tentativa de estupro e entrou em discussão com a vítima. Ao todo, foram identificadas na vítima oito perfurações e quatro cortes no pescoço, além de pancadas na cabeça.

No local, os agentes não encontraram o coração, e o pênis estaria jogado ao lado do corpo.
“No casebre, havia restos de comida e sinais de que o fogão tinha sido usado”.

Acusado estaria foragido 

O delegado informou, ainda, que Érico Luís tem um vasto histórico de crimes. Nascido em Mangueirinha, no Paraná, ele matou um homem a pauladas na aldeia paranaense de Palmas, em 2010. Anteriormente, esfaqueou dois homens e fugiu de uma cadeia local. Em 2012, outro episódio marcante, também no Paraná: foi preso após roubar uma fazenda e, ao conseguir forçar uma capotagem com uma viatura que o levava de uma cidade a outra, escapou a pé pela estrada. Sua prisão preventiva havia sido solicitada desde 28 de dezembro do ano passado. Como era procurado, acabou fugindo para a pacata praia de Quintão, onde estava foragido.

“Ele iniciou cedo no crime. Já cometeu outro homicídio em Mato Grosso do Sul e cumpriu cerca de 15 anos de prisão”.

Bretano diz que, até no máximo quartá-feira, sai o pedido de prisão preventiva de Luís, que foi encaminhado para o presídio de Osório (RS).

Fonte:Terra

Compartilhar:
    Publicidade