Homem que esquartejou mulher e jogou partes do corpo em caminhão de lixo

Claudinei Silva Delossi foi preso na segunda-feira (3), um ano após o crime

Foto:Divulgação
Foto:Divulgação

 

A polícia prendeu no centro do Rio Claudinei Silva Delossi, de 38 anos, que estava foragido há quase um ano acusado do assassinato de Arilanda Feitosa da Costa, de 39 anos. Na Divisão de Homicídios, ele confessou que esquartejou a vítima, com quem foi casado por seis anos, e jogou as partes do corpo em um caminhão de lixo.

Segundo as investigações, o homicídio aconteceu em fevereiro de 2013. Claudinei escondeu o corpo por dois dias em casa e esperou o caminhão de lixo passar para jogar os restos mortais, que, mais tarde, foram encontrados em um lixão. Arilanda, que é alagoana, foi enterrada como indigente, porque não havia parentes para reconhecer o corpo.

Claudinei contou à polícia que ocultou o corpo porque teve medo da reação dos traficantes na comunidade da Coreia, na zona oeste, onde morava. À reportagem da Record, o acusado afirmou que cometeu o crime por ciúme.

“Ela vinha me traindo. Houve uma discussão e eu a empurrei. Ela bateu a cabeça e veio a óbito”.

Aos vizinhos, Claudinei disse que Arilanda o abandonou e fugiu. Dias depois do assassinato, ele deixou a comunidade e passou a trabalhar como entregador de água na Central do Brasil. A polícia conseguiu identificá-lo como principal suspeito e obteve a prisão temporária de 30 dias.

Claudinei vai responder por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver. A pena pode chegar a 33 anos.

Fonte:R7

Compartilhar:
    Publicidade