Homem é preso após criticar abordagem da PM no Facebook

Lima criticou a forma com que os policiais abordaram as pessoas na blitz

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Clodoaldo Lima, 33 anos, foi preso na cidade de Sarandi, no norte do Paraná, após criticar a abordagem da PM em uma blitz no perfil dele no Facebook. O comentário foi feito na noite de 21 de agosto e Lima foi detido na manhã de 22 de agosto em seu local de trabalho por uma equipe de policiais militares. Horas depois, um policial comentou no post de um site de notícias locais, citando a prisão de Lima.

Lima criticou a forma com que os policiais abordaram as pessoas na blitz. “Com puro abuso de autoridade, falta de bom senso por parte dos policiais e principalmente pelo comandante da operação [...], que fizeram essa blitz com o único intuito de ferrar trabalhadores, sem o mínimo de bom senso, ao invés de ir atrás de bandidos”, escreveu Lima, casado e pai de três filhos, segundo as informações do perfil dele na rede social.

“Uma equipe foi até a empresa onde [...] trabalha e o deteve, em seguida, algemado o encaminhou até a Delegacia de Policia de Sarandi. Os policiais continuarão investigando outras pessoas, a fim de localizar e identificar, que fizeram comentários na página sobre a atuação da PM”, dizia a mensagem. Segundo a PM, Lima foi preso com base no crime de difamação, pois citava o nome do policial que o enquadrou em seu comentário.

Para Luciano Mazeto, comandante da 4a Companhia da PM de Sarandi, a prisão era necessária. “É um crime contra a honra do policial. Ele se sentiu ofendido e prejudicado. Nós, então, identificamos o suspeito, fomos até onde ele estava e, como é procedimento normal, encaminhamos para a delegacia”. Lima foi liberado após prestar depoimento na delegacia da cidade.

Foto: Reprodução Facebook
Foto: Reprodução Facebook

 

“A blitz é necessária, mas, talvez, eu não escrevi certo. O que acho é que, às vezes, naquele horário – a blitz foi feita no fim da tarde – pode acontecer de pegar muita gente que está trabalhando. Devido à situação de hoje no país, não é todo trabalhador que tem 800, 900 reais para manter o carro em dia. Foi só o que quis dizer. Respeito os policiais e não ofendi ninguém. Só cometi o erro de emitir minha opinião”, disse ele.

Fulvio Kaipers, presidente da Comissão de Diretos Humanos da OAB Maringá, considera a prática abusiva e humilhante. Para ele, não cabia prisão nesse caso, pois os crimes de calúnia e de injúria têm pena mínima, em regime aberto. Mesmo que o comentário tenha sido injurioso, o homem deveria ter sido acionado por processo judicial. Os policiais apenas humilharam um cidadão, opina o advogado.

Segundo Kaipers, Lima pode entrar com processo judicial contra o policial pelo crime de abuso de autoridade. “O rapaz pode procurar um advogado e ir atrás de seus direitos, já que foi humilhado. Toda vez que um policial age de forma violenta, deve ser coibido. Estamos expondo nosso cidadão de bem”, explicou. E aí: você acha que o PM agiu certo em deter o homem ou houve abuso de autoridade e Lima foi humilhado?

Compartilhar:
    Publicidade