Homem mata tio esfaqueado após suposto caso amoroso com ex-mulher

No local, ele confessou o crime e disse que matou para se defender da vítima

Acusado mostra ferimentos causado pela vítima. Foto: Divulgação
Acusado mostra ferimentos causado pela vítima. Foto: Divulgação

Uma discussão, que teria sido motivada por ciúmes, terminou com um homem morto a facadas e seu sobrinho preso, acusado de ter desferido os golpes contra ele, no município de Governador Dix-Sept Rosado, no Oeste potiguar.

O crime chocou os moradores da Favela da Baixada Fluminense e os familiares dos envolvidos, que teriam se agredido horas antes. Outras 12 pessoas foram mortas neste final de semana.

De acordo com informações da Polícia Militar, Dimas Rodrigues da Silva, de 24 anos, foi preso em flagrante e encaminhado para a delegacia de plantão de Mossoró, por homicídio doloso. No local, ele confessou o crime e disse que matou para se defender da vítima, José Barbosa do Nascimento, que já teria desferido um golpe de facão contra ele na manhã do sábado.

Atingido no tórax e abdomen, José Barbosa ainda foi socorrido com vida para a unidade de saúde de Dix-Sept Rosado, onde recebeu atendimento e foi transferido logo em seguida para o Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró, mas não resistiu e morreu. Conforme Dimas, a vítima dizia que ele tinha um caso com sua ex-mulher e, na manhã do sábado, o atacou a facadas. Para não morrer, revidou e acabou matando o tio.

Já em Natal, um morador de rua foi executado a tiros durante a madrugada de hoje por desconhecidos no bairro das Quintas, no pátio de um lava-jato nas proximidades da Avenida Mário Negócio. O corpo da vítima foi encontrado por funcionários do estabelecimento no início da manhã de hoje, quando chegavam para trabalhar.

E, em Igapó, moradores da Rua São Thiago encontraram o corpo de um homem não identificado, morto por espancamento durante a noite de ontem, próximo à estação de trem do bairro. Segundo o oficial de operações do 4º Batalhão, tenente Júlio César, moradores da região informaram que a vítima era usuária de drogas e que ela pode ter sido morta em um acerto de contas.

Ele disse também que não havia nenhum documento de identificação com a vítima, mas foi encontrada uma marica (espécie de cachimbo usado para fumar crack) ao lado do corpo, o que reforça a tese de execução por envolvimento com drogas. No local, ninguém soube dar informações sobre os assassinos e o cadáver foi removido para o Instituto Técnico Científico de Polícia do Rio Grande do Norte (Itep), no bairro da Ribeira.

Compartilhar: