Honrando as origens – Vicente Serejo

Aplaudo os orientais, tiro o chapéu para os indígenas, manifesto minha admiração às culturas que valorizam quem veio antes. Conduzem…

Aplaudo os orientais, tiro o chapéu para os indígenas, manifesto minha admiração às culturas que valorizam quem veio antes. Conduzem o passado como algo importante para o prosseguimento da vida. Porém, não como forma de estagnação e nostalgia, mas como referencial que norteia. Eles se inspiram em suas raízes, agradecem e seguem em frente, em um fluxo salutar para o andamento da vida.

O alemão Bert Hellinger, que criou o método psicológico das “constelações familiares”, corrobora, na teoria, com a prática que tais culturas já implementam no dia a dia há séculos. Ele explica que existem três leis naturais que regem os relacionamentos humanos – “as três leis do amor”: hierarquia (estabelecida pela ordem de chegada), pertencimento (estabelecido pelo vínculo), equilíbrio (estabelecido pelo dar e tomar/ receber). Quando essas leis são violadas em uma família ou grupo, surgem compensações que atuam nos membros, como: depressões, doenças, problemas nos relacionamentos, dificuldades em geral.

Em nossa cultura ocidental, somos acostumados a excluir o que nos incomoda, aposentar o que já não nos serve mais. Vivemos uma vida de esquivas, em que encarar o passado e se despedir dele é tarefa difícil. Paradoxalmente, tais posturas nos aprisionam a acontecimentos e pessoas que já fizeram parte de nossas vidas. Parece que quanto mais fugimos do que não queremos mais ver ou lembrar, mais esta “realidade” segue em nosso encalço.

Além dos conceitos de Hellinger, gosto de um trecho de um artigo de Stephan Hausner, sobre o assunto. “Seguramente, cada indivíduo recebeu algo de seus pais e também sente que algo lhe falta da parte deles. Entretanto, está ao alcance de cada um aquilo a que pode conectar-se. Quando ele consegue olhar para o que recebeu, sente que recebeu uma dádiva e que depois também terá algo para dar. Enquanto permanece reivindicando e fixado no que deixou de receber, provavelmente se sente enganado pela vida e pelos pais. Então, sente-se mal e carente, e não terá condições para doar”.

É preciso, além de reconhecer o que os nossos antepassados nos proporcionaram, agradecer verdadeiramente e, depois, se despedir. O passado (e também as pessoas do passado) precisa ser honrado – tal como ele ocorreu – e deixado em paz. É este o respeito e a reverência que o passado nos “cobra”. É revigorante quando aceitamos e acolhemos qualquer situação. Quando permitimos que ela naturalmente se vá, as doces lembranças permanecem.

w Para todos os gostos

Depois da pesquisa Consult recém divulgada, o que se comenta, nos bastidores, é que ambas as chapas majoritárias têm pesquisas paralelas, as quais divergem dos dados publicados. Nesses levantamentos, a diferença entre os candidatos estaria em outro patamar.

 

Memória recente

Observadores mais atentos lembraram que a Consult foi a mesma que se equivocou na pesquisa para prefeito, em 2012, calculando pontos desfavoráveis ao terceiro colocado Fernando Mineiro (PT), que, após abertas as urnas, quase chegou ao segundo turno.

 

Túnel do tempo

No estado da Paraíba, nas eleições de 2010, a pesquisa do instituto também apontava José Maranhão (PMDB) como governador, porém o vencedor do pleito foi Ricardo Coutinho (PSB).

 

Andanças

Nas andanças pelo interior do Estado, o deputado Gustavo Fernandes (PMDB), que tentará seu segundo mandato em outubro, participou da festa da padroeira de Pilões, Nossa Senhora Perpétuo Socorro, ao lado do prefeito Francisco das Chagas (PMDB) e dos vereadores Chico de João Bosco e Maria Paiva.

 

Adicional aprovado

Vereadores de Natal aprovaram, nesta semana, Projeto de Lei do Executivo que concede “adicional de serviço extraordinário”, para o período de 12 de junho a 13 de julho, aos servidores municipais, empenhados na realização da Copa do Mundo.

 

Lançamento

O “alma boa” Flávio Rezende, escritor e ativista social em Natal, lança o livro “Quero que este livro vire um filme”, no próximo dia 15 de julho, na Saraiva do Natal Shopping, às 19h. Na data, ele comemora também seus 53 anos de vida no bem.

 

Pró-cultura

O Mossoró Cidade Junina e o São João de Assu estão na lista das festas juninas do Nordeste que contam com o patrocínio da Petrobras neste ano. Em Mossoró, a festa vai até o dia 29, com cerca de 60 shows locais e nacionais, festivais de quadrilhas e os mais de 30 projetos culturais no Corredor Cultural.

 

Raízes

Com decoração em azul e branco, comidas e bebidas típicas e clima de torcida para a seleção italiana, o Chaplin Recepções se transformará na Casa Azzurri até o dia 25 de junho. Criado pela Federação Italiana de Futebol em 1998, o espaço é para a promoção do país durante grandes eventos esportivos.

 

Presos políticos

Uma carta escrita por presos políticos do presídio Romão Gomes, em SP, em 1975, e que trazia nomes e codinomes de 233 torturadores do regime militar no país virou o livro “Bagulhão: A Voz dos Presos Políticos contra os Torturadores”, lançado, nesta semana, pela Comissão da Verdade de São Paulo.

 

Fusão musical

Música brasileira homenageada, novamente, no Jobim, neste fim de semana. A proposta é oferecer a fusão do samba, chorinho e soul com a gastronomia. Nesta sexta-feira (20), o palco da casa recebe Laryssa Costa e Dois de Breque e, no sábado (21), os músicos Oswin Lohss, Renato Carvalho e Thiago Santana acompanham Dudu Galvão no show ‘Soul Brasil’, às 21h30.

Compartilhar:
    Publicidade