Hospitais privados esperam dias tranquilos durante a Copa em Natal

Unidades querem evitar superlotação e manter padrão de atendimento

Funcionamento-de-hospitais-durante-a-Copa-Promater-WR

Alessandra Bernardo

alessabsl@gmail.com

O início da Copa do Mundo no Brasil, no próximo dia 12 de junho, não deve alterar a rotina dos hospitais privados em Natal. Funcionando acima das suas capacidades para atender a demanda local, as principais unidades de saúde não elaboraram nenhum plano específico para o período, quando a estimativa é que o número de atendimentos aumente em torno de 6% nos dias de jogos, como é o caso do Hospital Promater, em Lagoa Nova.

A unidade, que realiza uma média de dez mil atendimentos de urgência e emergência por mês, foi obrigada a rejeitar o convite para ser hospital-referência durante os jogos da Copa para não comprometer a qualidade dos serviços oferecidos à população potiguar. Segundo o diretor administrativo do Promater, José Mendonça, o pronto-atendimento vive lotado.

“Tivemos que negar o convite porque convivemos já há uns três anos com um número de atendimentos acima da nossa capacidade e, se aceitássemos, correríamos o risco de não dar conta e prejudicar a qualidade dos nossos serviços. A nossa prioridade será o natalense e o potiguar, mas, isso não quer dizer que se um turista chegar aqui precisando de um atendimento, ele será negado, de jeito nenhum”, explicou.

Apesar dos 150 leitos, sendo 30 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto e neonatal, o hospital também sofre com a falta de leitos no dia-a-dia. “Hoje mesmo, um paciente teve que procurar outro hospital para internação porque não temos leitos vagos. E, como não temos mais espaço para ampliar, esperamos que não aconteça nada grave durante os dias de jogos”, afirmou Mendonça.

Memorial: só turista com seguro de vida

No Hospital Memorial, no Tirol, a situação é semelhante ao da Promater. Referência no atendimento de casos de pequena e média complexidade em Ortopedia em Natal, a unidade também trabalha acima da sua capacidade e só deve atender turistas com seguro de vida. Seu diretor, Francisco Gomes, disse que não recebeu nenhuma solicitação da Federação Internacional de Futebol Associado (Fifa) para atendimento de delegações e comitivas das seleções.

“Somente os segurados serão atendidos aqui. Turista sem seguro será orientado a procurar outra unidade de saúde, porque a nossa prioridade são os residentes de Natal. Mas, apesar disso, não acreditamos que a nossa demanda vá aumentar muito. Atendemos uma média de cem pessoas, muitos para cirurgia ortopédica e/ou retorno médico e a tendência é que continue assim”, afirmou Gomes.

Ele disse ainda que a unidade não terá a composição de sua equipe médica ou número de leitos ampliados para o período da Copa do Mundo em Natal. “Estamos sempre prontos para os atendimentos que possam surgir e, como esperamos que não aconteça nada de anormal nestes dias e a nossa rotina diária continue, estamos trabalhando normalmente, sem acréscimo no número de médicos, enfermeiros ou técnicos”, afirmou.

capacitação para atender turistas

Enquanto isso, o Hospital do Coração de Natal, uma das unidades de saúde selecionadas para realizar os atendimentos dos turistas, integrantes da seleção e da comitiva que acompanhará o vice-presidente dos Estados Unidos, está se preparando para a Copa do Mundo no Brasil desde o ano passado, quando os funcionários que trabalham na recepção e pronto-socorro iniciaram um curso de inglês.

O hospital possui 111 leitos, entre pronto-socorro e Unidade de Terapia Intensiva (UTI), realiza uma média de 150 atendimentos por dia e funcionará normalmente durante o período da competição. “Sempre recebemos turistas que estão visitando o estado e como temos uma boa estrutura, estamos confortáveis. Também esperamos que tudo ocorra bem e não aconteça nada de anormal durante os dias de jogos, mas, se for preciso, vamos oferecer o melhor atendimento que pudermos”, afirmou a responsável pelo setor de Comunicação e Marketing, Ana Luíza Câmara.

Compartilhar:
    Publicidade